<
>

Após se recuperar no Corinthians, multicampeão pelo Borussia Dortmund procura clube e se vê em grande forma: 'Eu me cuido muito'

Zagueiro Felipe Santana, ex-Borussia Dortmund e Atlético-MG, disputou a última temporada pela Chapecoense


No início de abril, o Borussia Dortmund, da Alemanha, comemorou o aniversário de nove anos de um dos gols mais emblemáticos de sua história: o do zagueiro brasileiro Felipe Santana contra o Málaga, aos 48 do 2º tempo, que classificou os aurinegros para a semifinal da Champions League 2012/13 (relembre abaixo).

Quase uma década depois, o defensor segue na ativa, tendo disputado as temporadas 2020 e 2021 pela Chapecoense e inclusive conquistando o título da Série B pela equipe catarinense há dois anos.

No entanto, após uma lesão no joelho, em julho do ano passado, Felipe Santana passou por cirurgia e acabou não renovando com a Chape.

Depois disso, ele fez a recuperação com o Dr. Joaquim Grava e usou as instalações do Corinthians para tratar o joelho.

Em entervista ao ESPN.com.br, o defensor de 36 anos contou que recebeu alta na última segunda-feira (18) e está pronto para retornar aos gramados, assegurando estar em grande forma. Falta apenas encontrar um clube para dar sequência à carreira, que começou em 2006, no Figueirense.

"Eu completei agora oito meses da cirurgia no joelho. Achei que ia ficar a carreira toda sem precisar operar, mas, infelizmente, aconteceu. São coisas do futebol. Fiquei triste no começo quando machuquei, mas sabemos que são coisas que fazem parte da vida de jogador", analisou o zagueiro, que ganhou duas Bundesligas, uma Copa da Alemanha e uma Supercopa da Alemanha pelo Borussia Dortmund.

"Eu não tinha muito tempo para lamentar. Fiz a cirurgia e logo começamos a recuperação. Começamos uma guerra contra o tempo, porque as pessoas acreditam que os jogadores de 36 anos já estão velhos, mas eu me cuido muito. Acredito que isso seja uma vantagem", salientou.

"Com três meses de recuperação, eu já estava correndo, mas senti um pouco de desconforto. Em dezembro, acabou meu contrato com a Chape e a gente sequer conversou sobre possibilidade de renovar. O time estava vivendo um momento delicado, de transição de presidentes, e nem conversamos. Por isso, optei por em embora e, desde então, comecei meu trabalho de recuperação no Corinthians", relatou.

Felipe agradeceu ao Timão pela ajuda nos últimos meses e revelou por que manteve perfil discreto nas redes sociais, sem mostrar que estava trabalhando na equipe do Parque São Jorge.

"Eu tive contato com o Dr. Joaquim Grava, que analisou minha lesão e me autorizou a fazer a recuperação no R9, no Corinthians. Foi algo maravilhoso, porque fiquei esse tempo no clube e pude vivenciar um pouco do que é a instituição Corinthians de perto", afirmou.

"Na segunda-feira, o processo acabou e ganhei alta do médico. Não quis postar nada em rede social, porque a gente sabe como são as especulações que isso gera. O Corinthians vivia uma fase turbulenta, saiu o Sylvinho, veio o Vítor Pereira, que inclusive trabalhou comigo na Grécia, fomos campeões. Então, preferi ser discreto", argumentou.

"Eu fazia horários invertidos da equipe principal. Foi um processo de tirar fibrose, dobrar o joelho, resolver essas dores que fazem parte do processo. O Corinthians me deu todo o suporte físico, médico e estrutural. Agora, venho trabalhando para deixar o tendão e os outros músculos fortalecidos", explicou.

"Reencontrar o equilíbrio era minha prioridde. Por isso, fiz tudo com calma, não quis correr risco de antecipar minha volta, jogar um Estadual e de repente me machucar de novo", finalizou.