<
>

Estados Unidos e México anunciam candidatura conjunta para sediar a Copa do Mundo feminina de 2027

O troféu da Copa do Mundo feminina em exposição no Canadá, em 2014 Alexander Hassenstein/FIFA via Getty Images

O Brasil ganhou nova concorrência na disputa para sediar a Copa do Mundo feminina de 2027. Nesta sexta-feira (8), Estados Unidos e México anunciaram candidatura conjunta pelo torneio.

Em nota oficial, as duas federações fizeram o anúncio da entrada na disputa. Além do Brasil, uma terceira candidatura de Alemanha, Bélgica e Holanda também foi anunciada nesta sexta-feira.

"A visão coletiva é realizar um torneio com as maiores jogadoras do mundo jogando em campos de classe mundial em estádios lotados. A infraestrutura necessária já está instalada – incluindo instalações de treinamento, locais de jogos, acampamentos-base e acomodações para viagens – para oferecer um excelente produto em campo e desempenho de alto nível durante todo o torneio. Todos os jogadores e torcedores experimentarão instalações e comodidades de classe mundial, elevando ainda mais o padrão do esporte feminino", diz a nota oficial.

Vale lembrar que os dois países receberão, ao lado do Canadá, a Copa do Mundo masculina em 2026. Os Estados Unidos ainda receberão a Copa América em 2024.

As associações-membro tinham até sexta-feira para apresentar suas propostas à FIFA. A África do Sul também apresentou uma candidatura, mas desistiu no mês passado, optando por apresentar uma “proposta bem preparada” para a edição de 2031.

A próxima vez que a FIFA organizará visitas de inspeção in loco aos países candidatos será em fevereiro, antes que os anfitriões sejam nomeados em maio pelo Congresso da FIFA.

O torneio de 2023 foi co-organizado pela Austrália e pela Nova Zelândia este ano, com a Espanha derrotando a Inglaterra na final.