<
>

Prêmio ESPN Bola de Prata: Tiago Volpi é só 4º a 'ganhar' nota 10; veja quem são os outros e os critérios

Tiago Volpi, do São Paulo, recebeu a nota 10 dos jornalistas avaliadores do 51º Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet por sua atuação primorosa na goleada por 4 a 1 sobre o Flamengo, no último domingo (1), pela 19ª e última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Mas ele não foi o primeiro.

Antes do goleiro tricolor, que diante dos cariocas pegou dois pênaltis e ainda deu uma assistência, outros três atletas já tiveram esta honra na chamada era dos pontos corridos da disputa nacional, que começou na edição de 2003.

São eles: Rogério Ceni, pelo São Paulo, em 2006, quando marcou dois gols e defendeu um pênalti no empate contra o Cruzeiro (2 a 2), no Mineirão, pela 18ª rodada; Neymar, pelo Santos, na 34ª rodada de 2012, na goleada por 4 a 0 sobre o Cruzeiro no Independência, quando fez três gols, deu uma assistência e saiu aplaudido; e o meia Arrascaeta, pelo Flamengo, em 2019, quando marcou três vezes, deu duas assistências e ainda participou do outro tento no atropelo por 6 a 1 sobre o Goiás, no Maracanã.

Desde 2017, porém, o Prêmio ESPN Bola de Prata conta com a pontuação composta por 40% de estatísticas (o algoritmo DataESPN) e outros 60% advindos das notas dos jornalistas.

Desta forma, Tiago Volpi acabou ficando sem a pontuação máxima na soma de ambas, com 9,11 pontos.

Ainda assim, foi a segunda maior pontuação neste período de quase quatro anos, atrás apenas do goleiro Diego Alves, do Flamengo, que em 2019 pegou também dois pênaltis no clássico contra o Vasco (vitória rubro-negra por4 a 1) e ficou com 9,22 pontos.