<
>

Mundial: torcedor do São Paulo, Jorginho responde se tem 'motivação extra' para vencer o Palmeiras com o Chelsea

Meio-campista do Chelsea concedeu entrevista ao site oficial da Fifa e falou sobre as expectativas pela conquista do título do Mundial de Clubes, em Abu Dhabi


Nesta quarta-feira (9), em Abu Dhabi, o Chelsea entra em campo contra o Al-Hilal, da Arábia Saudita, de olho em um vaga na decisão do Mundial de Clubes. Se vencerem, os ingleses enfrentam o Palmeiras, no sábado (12), pela final.

Entre os líderes do atual elenco do clube londrino, que é o campeão da Champions League, o volante Jorginho concedeu entrevista exclusiva ao site da Fifa e falou sobre as expectativas para a estreia na competição. E, como torcedor assumido do São Paulo, revelou se haverá alguma motivação extra numa eventual final contra o Alviverde.

"(risos) Eu não tinha pensado nisso. (risos) Mas você acaba sentindo! Espero que possamos vencer na quarta-feira. No momento, estou pensando apenas no Al Hilal", disse o meio-campista ítalo-brasileiro.

Durante a entrevista, o jogador de 30 anos ainda avaliou o primeiro adversário dos Blues na competição e disse que a sua equipe precisará ser cautelosa. Jorginho ainda lembrou da presença dos brasileiros Michael e Matheus Pereira como armas da equipe saudita.

"Acho que temos que ser cautelosos porque eles têm jogadores de qualidade. Eles também têm os brasileiros (Michael e Matheus Pereira) que têm muito talento. Esses dois podem nos dar problemas se não os marcarmos bem. Temos que impor nosso próprio jogo e ter cuidado com as armas que eles têm. Precisamos ser cautelosos, precisamos nos preparar bem para o jogo, porque se você subestimar seus adversários pode sofrer uma virada. No futebol de hoje não há jogos mais fáceis", disse.

Por último, ele ainda comentou sobre o favoritismo apontado ao Chelsea para conquistar a competição, como é de costume ano após ano com os campeões europeus, e revelou que poder ser campeão significará muito para ele, e também para a sua equipe, que ainda não faturou o Mundial.

"Significa muito para mim pessoalmente e tenho certeza que significa muito para o clube, porque nunca conquistamos este troféu e este é o momento certo para trazer este troféu para casa. Precisamos nos manter humildes, porque se você subestimar seus oponentes, poderá ter problemas. Você precisa estar preparado, treinar bem, dormir bem, comer bem, fazer tudo o mais profissionalmente possível para chegar no jogo e poder vencer. É o que queremos fazer, é o que gostamos de fazer. Não gostamos de perder jogos e queremos trazer este troféu para casa", finalizou.