<
>

Jornal relembra 10 contratações mais caras da última janela e decreta: só um está valendo a pena

Jogadores que mais dinheiro custaram no mercado de verão na Europa ainda não renderam o esperado em seus novos clubes


Nomes como Jack Grealish, Romelu Lukaku e Jadon Sancho foram alguns dos reforços mais caros da janela de transferências de verão na Europa, mas ainda não mostraram a que vieram em seus novos clubes.

O desempenho irregular de contratações tão badaladas fez o jornal AS, da Espanha, afirmar que só um dos dez jogadores mais caros deu resultado até agora. E o surpreendente nome é Ben White, zagueiro do Arsenal.

Seria exagero do diário espanhol? Veja abaixo um resumo do que cada um dos dez reforços mais caros do mercado fizeram até agora na temporada.

Grealish

O atacante fez Pep Guardiola se apaixonar e autorizar o Manchester City a pagar 117,5 milhões de euros ao Aston Villa. Até agora, soma três gols e três assistências, sendo reserva em três das últimas cinco partidas. Claramente precisa de um tempo para se adequar à orquestra de Pep.

Lukaku

Faltava um 9 para o atual campeão europeu, que foi buscar na Itália, por 115 milhões de euros, aquele que seria a resposta para os problemas. Mas o quebra-cabeça não se completou. Começou com três gols nos primeiros três jogos, mas desde então marcou só mais dois na Premier League, o que o fez perder a posição de titular. Isso sem contar a crise em que se meteu há poucos dias...

Sancho

O garoto inglês que explodiu no Borussia Dortmund fez o Manchester United pagar 85 milhões de euros. Valor alto, mas justificável para quem havia feito 50 gols e 64 assistências em 137 jogos no ex-clube. Só que, em Old Trafford, o ponta soma dois gols e nenhum passe decisivo para seus companheiros. Não à toa, foi reserva com Ole Gunnar Solskjaer e segue assim com Ralf Rangnick.

Hakimi

Único que custou uma taxa de transferências ao PSG, que topou pagar 60 milhões de euros à Inter de Milão. Chegou bem, como titular e importante no time de Mauricio Pochettino, mas "perdeu o gás", como define o AS, e passou a ser mais problema pela fragilidade defensiva do que solução pela capacidade de criar gols. A mudança do esquema para três zagueiros pode servir para seu renascimento.

Ben White

Único dos reforços aprovado pelo jornal espanhol. Custou 58,5 milhões de euros ao Arsenal, valor considerado alto por muita gente, mas hoje é indiscutível na zaga dos Gunners. Tem boa saída de bola, é polivalente e eficiente para o esquema de Mikel Arteta. Forma uma boa dupla com o brasileiro Gabriel Magalhães e tem tudo para criar uma era no Emirates Stadium.

Upamecano

O Bayern de Munique ganhou a concorrência de Real Madrid e Manchester United ao pagar a cláusula de 42,5 milhões do zagueiro com o RB Leipzig. O potencial do jovem zagueiro era imenso, mas até agora não atingiu a regularidade que se esperava em Munique, apesar de jogar com muita frequência. Comete falhas e ainda não dá segurança.

Varane

Vendido pelo Real Madrid por 40 milhões de euros ao Manchester United, o francês chegou para ser o companheiro que faltava a Harry Maguire no clube inglês. Mas, até agora, sofreu com lesões, problemas de adaptação ao novo clube e dificuldades coletivas com o time, o que impedem a melhor versão já vista do zagueiro.

Os demais

Tammy Abraham (40 milhões de euros pagos pela Roma), Ibrahima Konaté (40 milhões de euros pagos pelo Liverpool) e Emi Buendía (38,4 milhões de euros pagos pelo Aston Villa) completam o top 10 de transferências mais caras do mercado.

Para o AS, quem se deu melhor até aqui foi Abraham, autor de 14 gols pelo time de José Mourinho. O diário, porém, lembra que se esperava mais do atacante, que chegou com status de artilheiro após surgir muito bem no Chelsea.

Konaté chegou a Anfield para formar dupla com Van Dijk e até aqui não se estabeleceu no miolo de zaga, muitas vezes perdendo a posição para o camaronês Matip. Soma 13 partidas com a camisa dos Reds.

Já Buendía, aposta do Villa para suceder Grealish, soma 21 partidas e apenas dois gols e três assistências no clube. Agora, com a companhia de Philippe Coutinho, pode viver uma metade final diferente na temporada.