<
>

Ex-Flamengo diz que clube ficou 'sem nada' após Jorge Jesus e cita pedido que recebeu e não gostou: 'Me recusei'

play
Ex-goleiro do Flamengo, César cita problema que pode ter causado mau desempenho de Renato Gaúcho no clube (0:46)

Via YouTube: barbacast I Atleta diz que a profissão de técnico é muito difícil (0:46)

Ex-auxiliar técnico do Flamengo, Mauricio Souza lembrou do período de transição no comando do clube, após a saída de Jesus e antes da chegada de Domènec Torrent


Multicampeão na base do Flamengo e nos últimos anos auxiliar técnico do clube carioca, Mauricio Souza foi desligado do Rubro-Negro no início do ano e segue sem clube. O profissional ficou entre 2016 a 2021 na equipe e viveu muitas coisas nos bastidores.

Em entrevista ao canal da jornalista Raísa Simplício no Youtube, Mauricinho lembrou da sua passagem pelo Rubro-Negro e também do ex-treinador do clube Jorge Jesus, que teve uma era de títulos conquistados entre 2019 a 2020. E assim que o português foi embora, em julho de 2020, o ex-auxiliar foi o encarregado de comandar o time, até a contratação de um novo treinador, que foi o espanhol Domènec Torrent.

E de acordo com Mauricinho, assim que Jesus rumou para o Benfica, o Flamengo ficou sem nada do treinador durante o período de transição entre ele e Dome, no qual ele esteve no comando.

"Na verdade não tinha nada do Jorge Jesus, a não ser alguns exercícios, trabalho que a gente já conhecia. A gente não pode cair nesse erro, não tem como você repetir treinador. Por mais que tenha ideias parecidas, por mais que pense futebol de forma parecida, cada treinador tem suas ideias, maneira de montar a equipe. Quando fiquei duas semanas após a saída do Jorge, recebi treinos que ele aplicava e que a gente também aplicava. Só que os feedbacks nem sempre são os mesmos. A ideia do Jorge ele levou com ele, não tinha ninguém pra escutar e depois reproduzir. Quando se opta por um novo treinador, se opta por novas ideias", começou por dizer.

Ainda segundo o treinador, no período em que ficou à frente do time, foi pedido que ele reproduzisse as mesmas atividades que o time dominava. Porém, uma delas ele recusou.

"Quando eu cheguei após a saída do Jorge, foi um pedido que a gente reproduzisse as mesmas atividades que a gente dominava. Uma coisa que recusei a fazer foi o treino 10-0. Isso não vou fazer. Isso é particular. Para eu fazer, tenho que fazer a minha ideia. O que eu quero, a minha ideia e não conhecia a ideia do Jorge. Era soltar a bola e dizer 'reproduz aí?'. Quando a gente fala de ideia, a gente fala em corrigir. Jesus fez um trabalho maravilhoso, e o desejo era continuar com as mesmas ideias. Mas quem sabia as ideias? Não adianta pedir o treinamento porque o Jesus fazia. O grande treinador que o Jesus é não é só o treino, é como ele corrige, mostra o que quer, como ele passa pros jogadores o que ele quer. Isso só ele consegue fazer. Eu não consigo. Se eu chegar lá, vou passar as minhas ideias, podem ser parecidas, mas eu não sei as dele", finalizou.

Com passagem pela base e pelo profissional do Flamengo, Maurício Souza ficou bastante marcado pela conquista da Copa São Paulo de Futebol Júnior, em 2018. Ele ainda conquistou muitos outros troféus nas categorias de base do clube carioca.