<
>

Como o 'não' que o Leverkusen ouviu há seis meses por ex-Palmeiras agora atrapalha o clube na busca por um 9 para o Mundial

Com apenas Schick e Alario como opções de ataque, Bayer Leverkusen tentou a contratação de Arthur Cabral no último mercado de verão europeu


A saga do Palmeiras por um novo centroavante poderia ter chegado ao fim na última semana. Após atingir todas as exigências do Bayer Leverkusen, o Alviverde viu o time alemão fechar a porta de saída para Lucas Alario e encerrar, ao menos naquele momento, as conversas com o Verdão.

A grande razão pela qual o Bayer não quis negociar a saída de Alario foi o fato do argentino ser o único atacante de área reserva do time alemão. Caso negociasse o centroavante com o Palmeiras, os alemães se veriam apenas com Patrik Schick no time titular.

Este problema poderia ter sido resolvido ainda na última temporada com a chegada justamente de um ex-Palmeiras: Arthur Cabral. No último mercado de verão europeu, ainda em julho de 2021, o Bayer Leverkusen fez uma oferta de 8 milhões de euros, cerca de R$ 49 milhões, ao Basel, da Suíça, pelo atleta.

No entanto, os suíços recusaram e pediram 12 milhões de euros, cerca de R$ 73 milhões. O valor foi considerado alto demais pela diretoria alemã, que recusou a contraproposta e não houve evolução no acordo pelo brasileiro. Ainda no Basel, Arthur Cabral viu seu valor de mercado subir nos últimos meses.

Hoje, o valor para que o Basel considere uma venda do brasileiro é de R$ 15 milhões de euros, quase R$ 95 milhões. Curiosamente, caso não consiga convencer os alemães a ter Alario, o Palmeiras terá de desembolsar um valor semelhante para contar com um atacante de peso.

Os nomes na mira do time paulista são Valentín Castellanos, do New York FC e Agustín Álvarez, do Peñarol. O ESPN.com.br antecipou na última terça-feira (18) que o atacante uruguaio tem uma oferta em mãos do futebol inglês de 15 milhões de euros (R$ 94 milhões) e deve fechar negócio nos próximos dias.