<
>

Ricardo Oliveira revela como foram conversas com Sampaoli e motivo que o fez ser 'excluído' no Atlético-MG

play
Ricardo Oliveira revela motivo pelo qual Sampaoli o 'excluiu' do Atlético-MG; VEJA (2:10)

Ricardo Oliveira é o convidado do Resenha ESPN (2:10)

Atacante Ricardo Oliveira é o convidado do Resenha ESPN desta sexta-feira e abriu o jogo sobre relação com Sampaoli no Atlético-MG


Ricardo Oliveira é o convidado do Resenha ESPN desta sexta-feira, que você assiste a partir de 22h (horário de Brasília), pela ESPN no Star+. Entre outros assuntos, o atacante abriu o jogo sobre a relação que teve com Jorge Sampaoli, quando ainda defendia o Atlético-MG.

O jogador, de 41 anos e sem clube desde que deixou o Coritiba em 2021, detalhou as conversas que manteve com o argentino, que primeiro tentou a todo custo contratá-lo para defender o Santos, mas depois o “excluiu” quando poderiam trabalhar juntos.

E uma história está diretamente ligada a outra, segundo Ricardo. “Em 2019, eu estava voando no Atlético também. Comecei o ano sendo artilheiro da Conmebol Libertadores, batendo marcas importantes, para mim, significativas, ultrapassando a marca do Pelé em uma edição da Libertadores... E, nesse momento, o Sampaoli estava no Santos”, iniciou ele.

“Ele me ligou, tem no meu telefone as mensagens, falei com ele... Ele ligou e falou assim: eu quero que você venha para cá, porque você é o jogador que eu preciso, eu preciso de um cara como você, para colocar a bola para dentro. Eu vi o que você está fazendo”

“Falei assim: ‘Cara, pô, legal, bacana. Mas a gente tem um problema. Eu tenho um contrato, né. E eu acabei de chegar no Atlético. E eu saí do Santos e fechei com o Atlético. Então a gente tem um problema. A gente vai precisar conversar com o Atlético para ver se existe essa possibilidade’. E ele falou assim: ‘Não, não dá para conversar com o Atlético’. Eu falei: ‘Não, dá. Vamos ver se a gente pelo ou menos, se o Atlético abre conversação e tal’. Beleza”, seguiu.

“Conversamos com o Atlético, e o Atlético disse assim: ‘Não, impossível. O Sérgio Câmara (então presidente) me ligou: ‘Ricardo, é impossível. Vou falar a mesma coisa que eu falei para você no ano passado, não posso te liberar. Você é o nosso artilheiro na Libertadores, você está aqui, você é uma aposta minha, não posso te liberar, não tem como’. Falei: ‘Tá bom’. Aí falei com ele (Sampaoli): ‘Acho que não vai dar certo porque o presidente não quer liberar’.”

“Ele falou assim: ‘Cara, briga. Porque, quando você quer sair de um clube, você brigou, você sai. Você não vai estar insatisfeito’. Falei: ‘Não, aí não. Brigar não por que sou um cara profissional, o Atlético apostou em mim, me fez o convite e eu não vou ter esse tipo de comportamento que vai contra os meus princípios'. Beleza. Acabou, terminei o ano.”

“Em 2020, ele chegou no Atlético. Ele chegou no Atlético, aí estava virado para mim e aí… Me excluiu. Não falou comigo, me excluiu de acessar o clube para poder fazer meus treinamentos, me separou do time, não podia nem sequer ir no clube. Então fiquei treinando em casa. Por quê? Porque eu não aceitei fazer o que ele me pediu”, encerrou.

Ao todo, foram pouco mais de duas temporadas vestindo a camisa do Atlético-MG. Ricardo Oliveira entrou em campo 110 vezes, marcou 37 gols e deu 16 assistências com a camisa do Galo. Além disso, conquistou um Campeonato Mineiro.