<
>

Campeão mundial com São Paulo lembra ajuda de Ceni para triplicar salário e irritação na final da Libertadores: 'Me abraça o c******'

Ex-volante do clube paulista falou em entrevista ao De Lavada, podcast no YouTube


Revelado pelo São Paulo, Renan subiu da base em um dos momentos mais vencedores do Tricolor no século XXI. Não à toa, já no primeiro ano de profissional, conquistou a Conmebol Libertadores e o Mundial de Clubes.

Em entrevista ao 'De Lavada', podcast no YouTube, o ex-volante relembrou os primeiros passos na equipe profissional e contou um momento especial em que Rogério Ceni, já ídolo do clube, ajudou o então jovem atleta a triplicar o salário.

"Ganhava 9 mil. Subi para o profissional ganhando 3 mil. Só que daí quando comecei a jogar, começou a aparecer umas coisas de fora, aí cheguei no Rogério e pedi ajuda: 'Conversa lá com o Juvenal para aumentar meu salário'. E eu estava titular já. Era para o final de 2004 isso. Rogério falou com o Juvenal, que aumentou meu salário para 9. Liguei para minha mãe, falei para comprar filé mignon: 'Vamos explodir Caieiras'. Estou rico, pensei. Meu salário triplicou", começou por afirmar.

Em seguida, Renan contou outro momento inusitado. Na Libertadores, o titular era Josué, enquanto o volante jogava as partidas do Campeonato Brasileiro.

Jovem e com um dos menores salários do elenco, Renan visou o chamado 'bicho' (prêmio dado à parte aos jogadores pela vitória). Na final, no entanto, necessitava entrar em campo para não ganhar a metade do valor. Foi aí que o volante 'pistolou' com Josué.

"Chegou na final da Libertadores, Josué tinha machucado o tornozelo, já antes. Então só jogava os jogos da Libertadores, e eu treinava no lugar dele e jogava no Brasileiro. Mas até aí sem problema nenhum. Virou primeiro tempo 1 a 0 para nós, Athletico tinha perdido um pênalti. Eu falei: 'Josuca, 2 a 0 para nós, você pede para sair para eu ganhar o bicho'. Era 70 mil de prêmio, mas eu tinha que jogar, senão ganhava metade".

"E daí 2 a 0, 3 a 0. Aí pensei: Amoroso, Luizão e Júnior vão pedir para sair e esse f** não vai pedir. Dito e feito. Primeiro Amoroso, entrou Souza. Depois Luizão, entrou Tardelli. Depoir Júnior, entrou Fábio Santos. Acabou o jogo, ele vem com 'me abraça, papai'. Eu já soltei o 'me abraça o c**. Tá com o tornozelo todo f*****, era pra ter pedido para sair'. Aí, domingo, você vai estar bebendo em casa e eu vou jogar contra o Santos na Vila", completou.

Ao todo, pelo São Paulo, foram 79 jogos e um gol marcado. No futebol brasileiro, Renan também passou por Juventude, Cruzeiro, Vitória, Atlético-MG, Guarani, Athletico-PR, Sport, Linense, Portuguesa, São Bento, Tupi, Joinville e Central-PE.