<
>

Jorge Jesus entrega o cargo e deve rescindir com Benfica após crise nos bastidores, crava jornal

play
Jorge Jesus enche os olhos de lágrimas quando fala do Flamengo, revela ex-Benfica: 'Torço para que volte' (1:42)

Treinador português atualmente comanda o Benfica, mas viveu 'lua de mel' com a torcida do Flamengo em 2019 e 2020 (1:42)

Segundo relatos da imprensa portuguesa, Jorge Jesus colocou o cargo à disposição e deve acertar nas próximas horas sua rescisão de contrato com o Benfica


A crise explodiu no Benfica, e Jorge Jesus está no centro dela. Segundo relatos da imprensa portuguesa, o técnico não comandou o treinamento programado para a manhã desta terça-feira (28).

De acordo com o jornal Record, o Mister colocou o cargo à disposição da diretoria e deve rescindir seu contrato nas próximas horas.

Caso este cenário se confirme, o comandante não estará sequer à frente da equipe no clássico diante do Porto, que acontece nesta quinta-feira (30), pelo Campeonato Português. O time deverá contar com Nelson Veríssimo, treinador da equipe B.

De acordo com os veículos da imprensa local, Jorge Jesus foi protagonista de uma polêmica que esquentou os bastidores do Benfica na última segunda-feira quando o técnico afastou do elenco o meio-campista Pizzi, fato que gerou revolta no grupo dos Encarnados.

Segundo conta o Record, o relacionamento entre jogadores e treinador já estava estremecido e com mostras públicas de descontentamento como no bate-boca com o argentino Otamendi.

O gesto com Pizzi teria sido a gota d’agua na relação já ruim do grupo de trabalho.

A imprensa portuguesa relata nesta terça-feira que o Benfica adiou o para o período da tarde o treinamento que faria nas primeiras horas da manhã. Quando os jogadores chegaram ao Seixal, onde o elenco faz suas atividades, foram orientados a retirarem para suas casas.

Desde então Jorge Jesus e Rui Costa, presidente do Benfica, seguem reunidos em busca de um acerto para a rescisão de contrato do treinador, que deve acontecer ainda nesta terça-feira, segundo informa o jornal Record. De acordo com o jornal, a exigência do comandante é de que não seja executada a multa rescisória prevista em contrato, e que siga recebendo o salário do clube até que seja contratado por uma nova equipe.

A decisão de Jesus acontece menos de um dia após Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo, abrir o jogo sobre o motivo para não ter esperado por uma definição do técnico no Benfica.

“Não dava mais para esperar o Jorge Jesus. Ele não nos deu nenhuma sinalização clara de que queria voltar. Estava jogando conosco e com o Benfica”, afirmou Braz em entrevista a Renato Maurício Prado no canal de Youtube Ilan e Renato.

“Se o Mister tivesse me dito: ‘Espera até o dia 30’, eu teria esperado. Mas ele não disse nada. Ele ficava na dele e, quando questionado, repetia que dependia do Benfica”, completou. “Esperei o máximo que podia, fiz tudo que era possível, mas a verdade é que ele não me passou nenhuma segurança. Até entendo, mas para mim, deu”, justificou Marcos Braz.

Segundo informações publicadas na última segunda-feira (27) pelo jornal Record, de Portugal, o técnico ficou 'desolado e chateado' com Marcos Braz e Bruno Spindel pelo acordo encaminhado com Paulo Sousa.

O motivo, de acordo com o veículo, seria o fato de que os dirigentes rubro-negros poderiam aguardar mais alguns dias 'em compasso de espera' até que houvesse uma definição sobre o futuro de Jorge Jesus no Benfica.