<
>

Arana lembra derrota que poderia fazer Atlético-MG 'desandar' e vê queda na Libertadores como arranque para o título

Lateral-esquerdo do Galo foi eleito pela segunda vez seguida o melhor da posição no Bola de Prata


Guilherme Arana segue fazendo história. Nesta sexta-feira (10), o camisa 13 do Atlético-MG foi eleito o melhor lateral-esquerdo do Campeonato Brasileiro de 2021 no Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet, e ainda ficou entre os três finalistas à Bola de Ouro, que ficou com Hulk, seu parceiro no Galo.

Começou! Até meia-noite de domingo (12) tem Star+ Acesso Livre. Muito esporte AO VIVO, séries e filmes. Acesse agora e aproveite de graça toda a programação.

Vivendo uma temporada histórica, o foi peça-chave na conquista que encerrou um jejum de cinco décadas do clube de Belo Horizonte no Brasileirão, e ainda faturou a medalha de ouro com o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. De quebra, voltou às convocações de Tite para a seleção brasileira.

Mas 2021 poderia ter tomado outro rumo para Arana e também para o Atlético-MG. Favorito ao título, ao lado de Palmeiras e Flamengo, o clube estreou com derrota em casa para o Fortaleza.

Ali no primeiro jogo do campeonato, quando nós perdemos, poderia muito bem desandar. O professor Cuca, comissão e nós jogadores nos reunimos e falamos que o trabalho tinha que seguir. E não foi diferente. Temos grandes jogadores no elenco, com bagagem. Apesar de eu ter pouca idade, já vivenciei algumas coisas no futebol. Essa conversa foi muito importante. Independente do campeonato, a gente teria que entrar para vencer. Nosso ano vem sendo assim”, contou Arana em entrevista ao ESPN.com.br durante a cerimônia do Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet.

Este, no entanto, não foi o único momento em que o Atlético-MG precisou testar a força de seu vestiário para voltar a ser campeão brasileiro após 50 anos. No percurso para erguer um dos troféus mais cobiçados do país, o Galo precisou recolher rapidamente os cacos após uma eliminação para o Palmeiras nas semifinais da Conmebol Libertadores, novamente jogando dentro do Mineirão.

Mas foi exatamente aquele resultado adverso que colocou no elenco atleticano a obsessão de conquistar o Brasileirão. Segundo contou Guilherme Arana ao ESPN.com.br, os jogadores 'se fecharam' pela conquista do título nacional.

É claro que abala. Se falar que não estaria mentindo. Fiquei umas três noites pensando. Até no jogo da final, Palmeiras e Flamengo, fiquei pensando que poderia ser a gente disputando a final. Mas como eu falei: são jogadores cascudos, muito experientes. Conversamos entre a gente e fechamos”.

“Já tínhamos uma vantagem no Brasileiro, mas quando você sai de uma competição como a Libertadores, a tendência é abaixar a guarda. O jogo contra o Inter foi essencial. Depois daquele jogo passou toda a tristeza e seguimos nosso caminho”.

Mesmo após a conquista do Campeonato Brasileiro de 2021, encerrando um jejum de 50 anos, o Atlético-MG ainda não estará de férias. O time do técnico Cuca inicia neste domingo (12) a disputa pelo título da Copa do Brasil, e terá como adversário o Athletico-PR.

O primeiro confronto será disputado no Mineirão. A grande decisão terá como palco a Arena da Baixada, na próxima quarta-feira (15).