<
>

Jorge nega provocação ao Flamengo e vibra com Palmeiras campeão da Libertadores: 'Sensação indescritível'

Cria do Flamengo, lateral-esquerdo do Palmeiras vibrou com a conquista do tricampeonado da Conmebol Libertadores no último sábado (27)


Contratado ainda neste ano como opção para a lateral esquerda do Palmeiras, Jorge parecia ser um dos mais animados na comemoração do título da Conmebol Libertadores diante do Flamengo, no último sábado (27). Antes mesmo do apito final, ao lado de Luiz Adriano, Jorge pulava cantando com as arquibancadas. Apesar da festa, o lateral negou que tenha feito qualquer tipo de provocação ao Rubro-Negro, clube no qual foi revelado.

"Os jornalistas que me conhecem sabem como sempre me dei bem com todos, sempre solícito. Mas, da maneira como foi colocado, deixa margem pra interpretação negativa. Por que não falou que também fui lá abraçar cada um dos jogadores do Flamengo? Somos adversários, e não inimigos. Não me lembro muito bem, pois não parava de comemorar, mas acredito que alguém que estava por perto mencionou que eu fui ser campeão logo em cima deles".

"Pode ser que falei em cima deles, mas me referindo ao clube onde fui formado. Tanta coisa mais séria pra focar e soltam uma coisa dessa sem sentido. Toda vez que chegava da Europa, ia lá no Ninho (do Urubu) abraçar os funcionários, amigos que deixei por lá, e levava camisa de presente, demonstrando gratidão e respeito por todo carinho".

Uma das opções de Abel Ferreira no banco de reservas do Palmeiras, Jorge vestiu a camisa do Flamengo entre 2014 e 2017. Com boas atuações e personalidade em campo, o lateral-esquerdo foi negociado com o Mônaco, da França. Sem conseguir engrenar na Europa, o brasileiro foi ao Santos cedido por empréstimo.

Após retorno ao Velho Continente, Jorge também foi emprestado ao Basel, da Suíça, onde sofreu uma grave lesão ao romper o ligamento do joelho esquerdo, em dezembro de 2020. Após longo período de recuperação, o atleta foi adquirido em definitivo pelo Palmeiras com contrato até o fim de 2025.

"Assim que cheguei, logo percebi que tinha um foco muito grande na conquista da Libertadores, mas todos estavam focados em ganhar o Brasileiro antes. Não deu, mas fomos contemplados com essa conquista gigantesca", disse o lateral-esquerdo.

"A sensação é única, indescritível. E em pouco tempo de clube, vindo de uma lesão séria, a minha primeira na carreira. E ainda conseguir ser relacionado para o banco e carimbar meu nome nessa conquista tão valiosa por um clube tão gigante, foi um grande presente de Deus depois de tantas lágrimas".

Desde sua chegada ao Palmeiras, Jorge soma sete partidas com a camisa do Verdão, todas pelo Campeonato Brasileiro, sem marcar gols ou conceder assistências.