<
>

Ladrões assaltam casa de Vidal, da Inter de Milão, e levam ouro, joias e carro de R$ 2,5 milhões, diz jornal

Crime aconteceu no último dia 7 de novembro, enquanto o volante chileno disputava clássico contra o Milan, no San Siro, pelo Campeonato Italiano, mas só foi divulgado no fim de semana passado


Meio-campista da Inter de Milão, Arturo Vidal passou por uma situação nada agradável no início deste mês de novembro. No último dia 7, enquanto disputava clássico contra o Milan no San Siro, pelo Campeonato Italiano, o chileno teve sua casa assaltada e, além de ouro e joias, teve um carro de luxo avaliado em 400 mil euros (R$ 2,5 milhões nas cifras atuais) roubado.

A Inter de Milão volta a campo pelo Campeonato Italiano nesta quarta-feira (1), às 14h30, para compromisso em casa contra o Spezia, com transmissão AO VIVO pela ESPN no Star+.

Apesar de ter ocorrido há algum tempo, o crime só foi divulgado neste fim de semana pelo jornal italiano "La Provincia di Como". A residência do jogador fica em Villagio del Sole, em San Fermo, na província de Como. O caso, registrado na cidade de Rebbio, está sob investigação.

Assim que chegou à sua redidência após o clássico, Vidal deu falta de um dos seus cinco carros - no caso uma Mercedes, que foi levada pelos assaltantes - e ainda viu que as janelas de alguns quartos estavam quebradas e que alguns relógios, ouro e joia haviam desaparecido.

Ainda segundo o veículo, além da Mercedes, o estacionamento do chileno ainda contava com uma Ferrari 448 Spider, uma Brabus Amg G700, um Volvo XC90 e ainda um Panda 4x4. Os criminosos também tentaram levar a Ferrari, mas desistiram.

Outro moradores da região também foram alvo de bandidos recentemente. A casa, por sua vez, que é alugada, também foi assaltada em 2008, quando Adriano, o Imperador, ainda defendia a Inter e morava por lá.

Vidal, por sua vez, foi mais uma vez alvo de assalto na Itália. Em 2014, quando ainda estava na Juventus, criminosos roubaram sua casa em Turim e levaram cerca de 60 mil euros (cerca de R$ 380 mil nas cifras atuais), além de 90 mil euros (R$ 570,5 mil) em joias, que estavam guardados em um cofre.