<
>

Como sucesso de Jesus e Abel na Libertadores faz Portugal alcançar até marca do país na Champions

play
Deyverson pede a palavra, cita Abel e faz discurso de arrepiar: 'O mundo está muito cruel. Vamos amar o próximo' (2:26)

'É preciso entender que dentro da camisa do clube existe uma pessoa, que tem família. A gente não sente tanto, mas a família sente. Cuidado com as coisas que vocês falam', disse Deyverson (2:26)

Técnicos portugueses já conquistaram a Champions League em três oportunidades, mesma quantidade de títulos na Libertadores, desde a chegada de Jorge Jesus e Abel Ferreira


Abel Ferreira fez mais do que levar o Palmeiras ao terceiro título de sua história na Conmebol Libertadores, dois deles consecutivos e sob seu comando. Ao ser campeão sul-americano novamente, neste sábado (27), sobre o Flamengo, por 2 a 1, o treinador português alcançou uma marca expressiva para o seu país.

Com os dois títulos de Abel pelo Palmeiras e mais o de Jorge Jesus, pelo Flamengo, em 2019, Portugal agora tem três títulos de Libertadores, justamente nas últimas três edições.

É a mesma soma que os técnicos do país conseguiram em toda a história do maior torneio europeu: a Champions League.

Na Europa, os campeões foram Artur Jorge, em 1986/87, com o Porto, e José Mourinho, pelo mesmo time, em 2003/04, e depois com a Inter de Milão, em 2009/10.

play
2:26

Deyverson pede a palavra, cita Abel e faz discurso de arrepiar: 'O mundo está muito cruel. Vamos amar o próximo'

'É preciso entender que dentro da camisa do clube existe uma pessoa, que tem família. A gente não sente tanto, mas a família sente. Cuidado com as coisas que vocês falam', disse Deyverson

Abel Ferreira, bicampeão, também alcançou marcas pessoais com a conquista. É o primeiro técnico a ganhar duas Libertadores seguidas desde Carlos Bianchi pelo Boca Juniors, em 2000 e 2001, e também o europeu que mais venceu o torneio.

Além do palmeirense e Jorge Jesus, o croata Mirko Jozić venceu a competição, em 1991, pelo Colo Colo.