<
>

Jornal argentino diz que Otamendi se livrou de vermelho após cotovelada em Raphinha: 'Era vermelho sem discussão'

Zagueiro da seleção argentina deixou o atacante brasileiro sangrando após cotovelada, mas nem o árbitro, nem o VAR, consideraram o lance para cartão vermelho


Argentina e Brasil fazem um clássico quente, nesta terça-feira (16), pelas eliminatórias da Copa do Mundo. E um lance agitou ainda mais o primeiro tempo: a cotovelada de Nicolás Otamendi em Raphinha.

O defensor argentino abriu mão da jogada e soltou o braço no rosto do brasileiro, que ficou sangrando. O árbitro Andrés Cunha e o VAR não consideraram lance para vermelho, o que foi notícia até na Argentina.

Segundo o jornal "Olé", Otamendi se livrou pelo erro da arbitragem. De acordo com a publicação, era um lance claro de vermelho, sem discussão.

Renata Ruel, comentarista de arbitragem dos Canais Disney, criticou a arbitragem e o VAR. Segundo ela, é um erro inadmissível deixar Otamendi passar ileso.

"O Otamendi acerta o Raphinha com o cotovelo em um movimento antinatural para a disputa e coloca em risco a integridade física do jogador brasileiro com uso de força excessiva. É lance para cartão vermelho. Como a bola estava em disputa embaixo, às vezes no campo o árbitro não vê o que ocorre em cima. Porém, tem VAR e não sugerir revisão neste lance é inadmissível", afirmou Renata.