<
>

Meia da Ferroviária se diz feliz com desenvolvimento do futebol feminino em Portugal e avalia: 'É outro patamar'

play

Em entrevista ao ESPN.com.br, Suzane Pires falou sobre o desenvolvimento do futebol feminino em Portugal e comparou com o Brasil


A Ferroviária está na semifinal da Conmebol Libertadores feminina. Nesta segunda-feira (15), às 17h30 (de Brasília), a equipe entra em campo contra o Santa Fe, com transmissão do FOX Sports e pela ESPN no Star+, em busca de mais um passo rumo ao tricampeonato do torneio.

Um dos nomes contratados para a temporada 2021 foi a meia luso-brasileira Suzane Pires. Naturalizada portuguesa, a atleta vê de perto a evolução do futebol feminino no país e, em entrevista ao ESPN.com.br, disse estar surpresa com o estágio alcançado.

“Eu realmente estou muito feliz, porque, desde que eu voltei para a seleção, eu vi um crescimento enorme. Tanto na liga, como nas atletas, nas meninas que jogam na liga. Porque, antigamente, antes de eu engravidar, a gente até tinha diferença (na seleção) de meninas que jogavam na liga de Portugal e meninas que jogavam fora. Então, a gente via uma diferença de intensidade”, disse.

“E hoje a gente chega lá, e as meninas que jogam em Portugal estão com uma intensidade altíssima, um nível altíssimo técnico físico. Muitas da seleção atuam em Portugal, então, você pode ver que isso é devido à liga ter desenvolvido do jeito que desenvolveu”, completou.

As mudanças no Brasil também são observadas pela meia, que disse ter visto o nível de desenvolvimento rápido desde seu retorno ao país.

“E aqui também, desde que eu voltei a jogar, eu sinto que o Brasileirão desenvolveu muito. Não tem mais jogo fácil, não tem aquele jogo que você vai jogar e fala que já sabe quem vai ganhar, porque todo jogo é difícil. Os times estão investindo, então isso é muito importante para a competitividade, para a intensidade das jogadoras. Eu vejo os dois (países) crescendo. Nesses anos em que eu fiquei parada (a evolução) disparou. É outro futebol, é outro patamar dos dois países”, avaliou.

Suzane ainda revelou que, na Europa, já olham para o futebol brasileiro com outros olhos, notando o aumento do nível de competitividade.

“Muita gente acompanha. Às vezes, é muito tarde, igual nosso último jogo contra o Corinthians. Eles falam que o nível aumentou muito, que é muito competitivo, que não tem jogo fácil, que todo o jogo você tem que entrar com tudo e dar o seu melhor para poder sair com a vitória. Então, com certeza eles acompanham sim”, finalizou.