<
>

Após fracasso, Superliga volta com força na Europa e apresenta novo formato; veja os 10 pontos-chave

play
Presidente da polêmica Superliga europeia, Florentino Pérez diz: 'Queremos salvar o futebol' (1:12)

O presidente do Real Madrid deu uma forte entrevista ao programa 'El Chiringuito', muito famoso na Espanha. Falando sobre a grande pauta dos últimos tempos, o cartola fez questão de cutucar a UEFA, com quem esses 12 clubes agora travam uma 'guerra'. (1:12)

Superliga Europeia propôs várias mudanças em relação ao formato anunciado em abril deste ano por 12 clubes


Quem achou que a Superliga Europeia havia morrido se enganou redondamente.

Na última terça-feira, o jornal econômico alemão Wirtschaftswoche vazou documentos da organização que revelaram que os clubes que ainda restaram na entidade (Real Madrid, Barcelona e Juventus) planejam em breve relançar um novo projeto de competição, com várias mudanças de regras.

Não perca o Star+ Acesso Livre nos dias 22, 23 a 24 de outubro! Três dias completamente de graça com muito esporte AO VIVO, séries e filmes. Clique e saiba mais!

O documento, que não tem assinaturas definidas, foi intitulado como "Repensando o futuro do futebol na União Europeia".

No texto, os autores afirmam que o projeto inicial da Superliga, anunciado em abril deste ano por 12 equipes, foi "mal-interpretado".

O comunicado afirma que a nova competição "não visa romper com as ligas nacionais", mas sim "conviver com as mesmas, continuando o ecossistema existente".

Além disso, a nova Superliga não seria um clubinho fechado, sendo disputada só pelos mesmos times.

De acordo com a proposta, haverá critérios para classificação, rebaixamento e acesso, algo totalmente diferente do desenhado inicialmente em abril.

"A Champions League atual, dirigida e operada pela Uefa, que se autodenomina reguladora das competições futebolísticas da Europa, não mudou seu formato em quase 30 anos, tornando-se rígida e tediosa", diz o texto.

"Escutamos os torcedores e eliminamos também o conceito de membros permanentes da Superliga, pois sabemos que os fãs não querem uma liga fechada para sempre", completou.

Confira os 10 pontos-chave da base da nova proposta:

1. A Superliga não é uma proposta que vai acabar com a atual ordem estabelecida ou abandonar as ligas nacionais

2. Será eliminado o conceito de "membros permanentes" da Superliga

3. A criação da Superliga é o reconhecimento que o sistema atual da Uefa está acabado

4. Os papéis da Uefa criam conflitos estruturais

5. A Superliga deseja maior proximidade com os responsáveis de clubes que não são membros

6. A Superliga chega para suprir a lacuna da falta de jogos de alto nível na Europa

7. Os controles financeiros da Uefa atualmente são inadequados

8. Há falta de transparência na forma como a Uefa distribui dinheiro

9. A União Europeia está perdendo o controle do futebol

10. Clubes de grandes cidades localizadas em países menores não podem competir no modelo atual da Uefa

Vale lembrar, porém, que a Superliga já foi abandonada por nove dos 12 times fundadores.

Manchester United, Manchester City, Liverpool, Arsenal, Tottenham, Chelsea, Atlético de Madrid, Inter de Milão e Milan anunciaram suas saídas do projeto menos de 48 horas depois do comunicado de anúncio do torneio europeu, em abril.

Real Madrid, Barcelona e Juventus, por sua vez, seguem juntos na parceria, que ficou muito enfraquecida desde então.