<
>

Barcelona: Aguero surgiu com 'o andar e a marra' de Romário e quis aprender português

Sergio Manoel disse que Aguero era muito parecido com Romário quando surgiu no profissional do Independiente


A estreia de Sergio Aguero pelo Barcelona contra o Valencia fará os torcedores mais antigos ficarem saudosistas e se recordarem de um jogador que marcou época no Camp Nou nos anos 90. Ao menos é isso o que garante os ex-companheiros do centroavante argentino.

O jogo Barcelona x Valencia, válido por LaLiga, neste domingo (17/10), às 16h (de Brasília), terá transmissão ao vivo e exclusiva pela ESPN No Star+.

Colega de Aguero no Independiente-ARG, Sergio Manoel viu o atacante surgir como um fenômeno com apenas 16 anos.

“Quando eu o vi pela primeira vez, pensei: ‘Esse moleque anda como o Romário e tem a marra do Romário, mas ainda não é ninguém (risos)’. Era parecido mesmo”, disse o ex-jogador ao ESPN.com.br, em 2020.

“Todos ficavam de olho porque fazia estragos na base. Quando foi jogado no profissional, viram que não sentiu a mudança e fazia as mesmas coisas de antes. Foi só questão de tempo para que ele explodisse”.

De acordo com Sérgio Manoel, Aguero tinha outra característica parecida com a do Baixinho: não gostava de marcar. O meia lembra que até pediu ao goleiro Lucas Molina dar um toque ao atacante, para que mudasse o comportamento.

“Ele respondeu: ‘Ele é assim desde pequeno, não vai mudar. Ele não faz por maldade, as referências que ele escolheu são assim. Mas, quando ele estiver com a bola ,você verá que ele faz a diferença’”, recordou.

Ao ver o enorme potencial de Sergio Aguero, o brasileiro procurou conversar com o jovem durante os treinos.

“Ele sempre escutou os conselhos. Um dia eu falei que ele tinha o mesmo estilo de jogo do Romário e que faria mais gols, se fosse mais aplicado na parte física. Ele respondeu: ‘Eu não tenho a mesma força e resistência que você. Mas eu tenho a explosão e a velocidade’”.

“O Aguero me disse que tinha visto vários depoimentos de grandes jogadores com as mesmas características que as dele, incluindo o Romário, e gostaria de copiá-los”, contou Sérgio.

Manoel percebeu que a personalidade do jogador era realmente diferente.

“Eu vi que não tinha como dar errado. Quando ele errava, não se abatia, e passou a destruir nos treinos depois que pegou confiança”, garantiu.

O brasileiro contra ainda que, no começo, Aguero era bem tímido e envergonhado, mas passou a se soltar com o tempo.

“Lembro que ele queria aprender umas besteiras em português para poder provocar os jogadores brasileiros em campo (risos). Eu respondia: ‘Pô, você quer que eu te ensine a malandragem dos brasileiros para você sacanear a gente? Tá de brincadeira!’”, diverte-se Sérgio.

Meia com passagens por Santos, Fluminense, Botafogo, Cruzeiro e Grêmio, Sérgio Manoel ficou pouco tempo no Independiente.

“Pena que eu fiquei só seis meses, porque ele passou depois a ser titular e explodiu na temporada seguinte. Era acima da média e já dava para imaginar que ele seria assim”, finalizou.

Após sair do Independiente, Aguero teve uma carreira de muito sucesso no Atlético de Madrid e Manchester City antes de chegar ao Barcelona no meio de 2021. Após se recuperar de uma lesão, o argentino deve finalmente entrar em campo de forma oficial pela primeira vez com o time catalão.