<
>

Jornal relembra primeira janela de Chelsea, City e PSG e faz projeção ao Newcastle: 'Irá sacudir a Premier League'

Jornal Marca relembrou os primeiros investimentos de Chelsea, Manchester City e PSG logo após serem adquiridos por investidores multimilionários e afirmou que o Newcastle irá incomodar


A 82 dias para a abertura da próxima janela de transferências, o Newcastle aparece com um dos clubes que o mundo do futebol mais espera movimentações por conta da recente aquisição bilionária.

O fã de esporte acompanha os jogos do Newcastle aa Premier League com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+

Pensando nisso, o jornal espanhol Marca relembrou as primeiras aquisições de Chelsea, Manchester City e Paris Saint-Germain, icônicos clubes que foram adquiridos por multimilionários e passaram a figurar no topo da Europa.

Chelsea

Em 2003, Roman Abramovich concretizou a compra do Chelsea, que pertencia a Ken Bates. A compra mudou o patamar dos Blues, que gastaram, na época, 170 milhões de euros.

O principal nome que desembarcou no Stamford Brige foi Hernán Crespo. O argentino, atual técnico do São Paulo, chegou à Inglaterra vindo da Inter de Milão pelo valor de 26 milhões de euros.

Outros nomes que chegaram foram: Verón, vindo do Manchester United por 21,8 milhões de euros, Makélélé, vindo do Real Madrid por 20 milhões de euros, e Joe Cole, vindo também do Real Madrid por 9,9 milhões de euros.

Manchester City

Ao norte de Londres, a equipe azul de Manchester, até então administrada por Thaksin Shinawatra foi comprada por Abu Dhabi United Group, de Mansour bin Zayed Al Nahyan, em 2008. O intuito era fazer o outro time da cidade crescer e rivalizar com o United.

De cara, aproximadamente 157 milhões de euros gastos na primeira janela de transferências. E o principal nome que chegou foi de um brasileiro. Proveninente do Real Madrid, Robinho custou 43 milhões de euros à época ao City.

Outros importantes nomes que chegaram foram: Jô, vindo do CSKA por 24 milhões de euros, Wright-Phillips, vindo do Chelsea por 11,2 milhões de euros, Zabaleta, vindo do Espanyol por 8,5 milhões de euros, Kompany e De Jong, vindos do Hamburgo por 8,5 e 18 milhões de euros, respectivamente.

Paris Saint-Germain

Dos três, o PSG foi o último a ser adqurido para se tornar uma potência europeia e mundial. Em 2011, chegou a Qatar Sports Investments e transformou o clube do Parque dos Príncipes no mais rico do planeta.

A primeira contratação foi a de um argentino. Se hoje tem Lionel Messi, o pioneiro dos investimentos do presidente Nasser Al-Khelaifi foi Javier Pastore. O meia deixou o Palermo e desembarcou na capital francesa por 42 milhões de euros.

Na janela, o clube francês gastou 107 milhões de euros e trouxe nomes como Gameiro, vindo do Lorient por 11 milhões de euros, Thiago Motta, vindo da Inter por 11,5 milhões de euros, Matuidi, proveninente do Saint-Étienne por 8 milhões de euros, Ménez, vindo da Roma por 8 milhões de euros, Alex, que pertencia ao Chelsea e chegou pelo valor de 5 milhões de euros, Sirigu, que veio do Palermo por 3,9 milhões de euros, Maxwell, que atuava pelo Barcelona e chegou pelo valor de 3,5 milhões de euros, e Lugano, ex-Fenerbahce e que chegou por 3 milhões de euros.


O Newcastle, agora, promete ser o próximo a incomodar na janela de transferências e trazer estrelas que prometem colocar o clube do St. James Park em um outro patamar. Nomes como Philippe Coutinho, Sterling, Lingard, Icardi e Martial são especulados.