<
>

Richarlison fala da vontade de jogar com Messi e revela 'carinho especial' por outro clube sul-americano

O atacante do Everton e da seleção brasileira, Richarlison estampou a capa do jornal argentino Olé e participou de uma entrevista ao diário. Questionado sobre qual jogador do país vizinho gostaria de atuar lado a lado, o brasileiro não pensou duas vezes ao responder.

O Everton volta a campo pela Premier League no próximo sábado (2), às 8h30 (de Brasília), contra o Manchester United, com transmissão AO VIVO pela ESPN no Star+. Ainda não é assinante? Clique aqui para ter mais informações

''Sem dúvida, Messi. Eu sou um grande fã de vocês. É um jogador completo e tornou-se uma referência pela sua qualidade e mentalidade vencedora. Eu adoraria ter a experiência de jogar e aprender um pouco com ele'', disse o atleta.

Depois da vitória do Brasill sobre o Peru nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, o atacante usou suas redes sociais e levantou polêmica ao dizer que o seu companheiro Neymar é o melhor do mundo e que a seleção canarinho não tinha rival na América no Sul. As brincadeiras, no entanto, não foram bem vistas na imprensa argentina.

Durante a entrevista, camisa 7 minimizou o episódio, afirmou que em nenhum momentou comparou o compatriota com Messi e voltou a rasgar elogios ao ''alienígena'' craque argentino.

''Na verdade, não fiz essa comparação: só falei que acho o Neymar o melhor jogador do mundo no momento. Messi é um alienígena, um dos melhores jogadores da história. Estou brincando, mas realmente não concordo com todas essas comparações de quem é ou foi o melhor. Cada jogador passa por fases: às vezes tudo vai bem e outras vezes, nada de bom acontece. Prefiro admirar e aprender com Neymar, Messi, Cristiano Ronaldo, com todos. Temos o privilégio de ter três dos jogadores mais fantásticos da história do futebol ainda ativos e ao mais alto nível. Por que não desfrutar em vez de compará-los?'', questionou o atacante.

Por fim, Richarlison revelou ter um ''carinho especial'' por um clube do país vizinho: o Boca Juniors.

"É um time que encanta os brasileiros pela mística que criaram na Libertadores, a mim também, desde que era criança. Além do mais, eles têm uma torcida fanática, e o clube me parece conectado com os setores mais populares de Buenos Aires e da Argentina. Criei uma identificação com eles'', disse o jogador.