<
>

E se Atlético-MG x Palmeiras for para os pênaltis na Libertadores? Veja o raio-x completo das cobranças dos times

Atlético-MG e Palmeiras decidem, nesta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), quem será o primeiro finalista da Conmebol Libertadores 2021. Uma definição que poderá vir apenas nas cobranças de pênaltis, em caso de novo empate em 0 a 0, mesmo placar do jogo de ida.

Assim que a bola parar de rolar, por volta de 23h20, você acompanha todas as repercussões, entrevistas, análises e opiniões no Linha de Passe, ao vivo, pela ESPN no Star+. Ainda não é assinante? Saiba mais aqui.

A semifinal, inclusive, poderia já ter um cenário diferente depois do jogo no Allianz Parque. É que no primeiro duelo, o Atlético-MG teve a chance justamente da marca da cal de sair na frente, mas Hulk, o principal batedor do time mineiro, acertou a trave de Weverton.

Do outro lado, o Palmeiras também carrega traumas nos pênaltis, tendo perdido a Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e terceira fase da Copa do Brasil dessa forma.

Mas o que esperar de uma possível disputa entre os dois times? O DataESPN preparou um raio-x completo das cobranças das equipes na temporada para tentar responder.

Atlético-MG

O aproveitamento do Atlético-MG em pênaltis na temporada é de 80%, com 12 gols em 15 cobranças. Todos os erros aconteceram justamente na Libertadores, dois na disputa que definiu a classificação contra o Boca Juniors-ARG (Hulk e Hyoran) e um na ida contra o Palmeiras (também Hulk).

O principal batedor: Hulk

Embora tenha sido responsável por dois dos três pênaltis perdidos pelo Atlético-MG no ano, Hulk é o cobrados oficial do time. No total, foram oito pênatis cobrados, com seis gols (1 no Mineiro, 2 no Brasileirão, 2 na Copa do Brasil e 1 na Libertadores), um aproveitamento de 75%

A mecânica da cobrança de Hulk tem um "trote" no meio, em momento em que ele se fixa na observação do goleiro. Na metade final do movimento, ele presta mais atenção na bola e acelera a corrida.

Canhoto, ele bateu metade dos seus pênaltis abertos (e teve um erro assim contra o Boca) e os outros quatro mais cruzados, como o que acertou a trave contra o Palmeiras.

Outros batedores

- Nacho Fernández: 1 cobrança, 1 gol
Seu único pênalti em 2021 foi batido de forma seca, no centro do gol. Em seus últimos tiros pelo River Plate, ele bateu cruzado quatro vezes e outras duas no centro. Canhoto, ele não costuma bater com o "pé aberto".

- Hyoran: 1 cobrança, 0 gol
Hyoran isolou seu pênalti na disputa contra o Boca, tendo escorregado na hora da batida. Comparando com cobranças mais antigas, ele aumentou a distância tomada para chutar.

- Junior Alonso: 1 cobrança, 1 gol
Em seu único pênalti, "travou" a corrida para observar o goleiro. Depois, olhou apenas para a bola e bateu firma, de chapa, cruzado e rasteiro. Canhoto, ele bateu, porém, apenas esse pênalti de forma cruzada comparando com chutes mais antigos. Essa "travada" na corrida tambem não aconteceu em todas as cobranças.

- Éverson: 1 cobrança, 1 gol
Goleiro converteu o único pênalti que bateu. Tomou distância até perto da entrada da área, diminuiu a velocidade da corrida até metade do caminho e bateu com o peito do pé, com força, no alto.

- Vargas: 1 cobrança, 1 gol
Destro, fez sua única cobrança no ano de forma cruzada, sua preferência também em batidas anteriores, por outros clubes.

- Arana: 1 cobrança, 1 gol
Em seu único pênalti, correu sem paradinhas ou trotes, olhou para o gol apenas uma vez e colocou a bola onde havia observado. Um chute cruzado do canhoto, forte, no alto.

- Guga: 1 cobrança, 1 gol
Inicia o movimento centralizado, mas, ao começar a corrida, busca ângulo e "trota" observando o goleiro. Destro, bateu firme, cruzado, à meia altura.

Palmeiras

O aproveitamento alviverde em cobranças de pênaltis na temporada é de apenas 57,1%, com 16 gols em 28 batidas. Foram três disputas valendo título ou classificação, e o time paulista levou a pior em todas.

Nove diferentes jogadores do Palmeiras já erraram cobranças no ano, sendo que Lucas Lima foi o único que já deixou o elenco - Matías Viña, que também foi embora, bateu um e fez. Luiz Adriano e Gabriel Menino perderam dois pênaltis cada.

O principal batedor: Raphael Veiga

Tem 100% de aproveitamento nos cinco pênaltis que bateu (dois na Libertadores, dois na Supercopa e um na Recopa), tendo alternado os lados das batidas: canhoto, ele cobrou duas vezes no meio, duas de forma cruzada e uma aberta.

Sempre posiciona-se a cerca de cinco passos da boa e checa o gol apenas uma vez na corrida. Bate forte e normalmente com a parte frontal do pé. Em 2021, contudo, apostou três vezes em chutes de chapa. Nas duas disputas de pênaltis que participou pelo Palmeiras, contra Flamengo e Corinthians (Campeonato Paulista 2020), apostou em cobranças altas e cruzadas.

Outros batedores

- Gustavo Gómez: 4 cobranças, 3 gols
Destro, prioriza as cobranças rasteiras, bateu assim todos os pênaltis dessa temporada. Seu único erro, na Recopa, foi batendo no canto direito, o seu preferido (7 de suas cobranças registradas no banco de dados do DataESPN foram assim).

Em tempos em que os goleiros chegam preparados para as cobranças de pênalti, todos os que enfrentaram Gómez nesta temporada, foram para o canto direito do paraguaio. Em 2021, porém, ele bateu um no meio e um cruzado, convertendo os dois.

- Gabriel Menino: 3 cobranças, 1 gol
Destro, mostrou preferência pelas batidas cruzadas, mas só converteu o pênalti da disputa da Recopa, cobrado rasteiro. No Paulista e na Supercopa, parou nos goleiros, que acertaram o canto nas três batidas que Gabriel Menino fez.

- Gustavo Scarpa: 2 cobranças, 2 gols
Desde que chegou ao Palmeiras, são 10 gols em 11 batidas de pênalti. A maioria de suas cobranças é alta. Canhoto, ele não costuma bater cruzado, tendo registrado apenas um tiro dessa forma - nos outros dez, metade para seu canto esquerdo, metade na região central do gol.

- Luiz Adriano: 2 cobranças, 0 gols
Parou na trave nas duas vezes que bateu pênaltis na temporada. Pelo Palmeiras, não bateu nenhuma vez cruzado. Destro, tem histórico ruim em disputas de penalidades, tendo errado nas três que esteve envolvido no clube (Copa do Brasil, Recopa e Mundial de Clubes 2020).

- Rony: 1 cobrança, 1 gol
Rony apostou em pênalti rasteiro em 2021, terminando o movimento da cobrança de forma firme, depois de ter perdido sua batida no Mundial de Clubes de 2020. Sua mecânica é bastante peculiar, com bastante distância e pequenos trotes durante a corrida até a finalização.

- Willian: 1 cobrança, 1 gol
Toma boa distância para a bola. Alterna o olhar entre o gol e a bola. Sua batida é sempre com a parte interna do pé e costuma chutar a meia-altura. Em 2021, seu único chute foi cruzado.

- Gabriel Veron: 1 cobrança, 1 gol
Sua única cobrança foi alta. Destro, toma pouca distância na hora de bater e não tira os olhos da bola.

- Breno Lopes: 1 cobrança, 0 gol
Destro, parou no goleiro na Copa do Brasil. Costuma finalizar de chapa.

- Danilo: 1 cobrança, 0 gol
Acertou a trave na Supercopa contra o Flamengo. Sua mecânica tem uma distância de cerca de 10 passos para a bola, até a linha da grande área. Começa a corrida em pequenos trotes, alternando o olhar entre a bola e o gol.

- Victor Luis - 1 cobrança, 1 gol
Canhoto, toma distância acima da média. Corrida firma e bate seco, com a parte frontal do pé. No único batido em 2021, apostou em batida curzada, rasteira. Em sete cobranças analisadas, perdeu apenas uma.

- Luan - 1 cobrança, 0 gol
Corre firme, olhando apenas a bola. Destro, bate sempre com a chapa do pé, no canto cruzado

- Mayke - 1 cobrança, 0 gol
Toma distância de cinco passos a bola. Corre sem firulas, olhando apenas a bola. Bate com a chapa do pé, no canto direito

- Marcos Rocha - 1 cobrança, 0 gol
Olha apenas a bola. Destro, bate com a parte frontal do pé, no canto cruzado, a meia-altura.