<
>

Agora sem Messi, Barcelona junta os cacos após ser atropelado de novo e tenta recomeçar

play
Champions: Lewandowski faz dois gols, Bayern dá show e passa fácil pelo Barcelona no Camp Nou; veja como foi (0:55)

Além dos dois gols do polonês, Thomas Müller marcou no triunfo por 3 a 0 (0:55)

Com a cabeça 'mais fria' após a dura derrota para o Bayern de Munique na estreia da fase de grupos da Uefa Champions League, o Barcelona quer mostrar que os 3 a 0 sofridos dentro do Camp Nou ficaram no passado. E esse recado pode ser dado nesta segunda-feira (20), quando o time recebe o Granada, novamente jogando dentro de casa.

O confronto entre Barcelona e Granada, pela 5ª rodada de LaLiga, terá transmissão AO VIVO pela ESPN no Star+ a partir de 16h (de Brasília). Quer mais informações sobre essa partida? Clique aqui.

Agora sem Lionel Messi, o Barça terá a missão de se reerguer após ser novamente 'atropelado' pelo gigante bávaro. E tudo isso em meio ao processo de reconstrução financeira que Joan Laporta, presidente do clube, tanta implementar.

Ainda assim o atual cenário não chega a ser novidade.

A temporada passada já começou sob a sombra do implacável 8 a 2 sofrido diante do mesmo Bayern de Munique na Champions 2019/20, fato que deixou o vestiário culé em ruinas e quase resultou na saída de Lionel Messi (que acabaria se concretizando meses depois, mas por outro motivo).

O caminho percorrido pelo Barça no último ano do argentino no clube dava sinais daquilo que viria pela frente. As duas derrotas para o Real Madrid no Campeonato Espanhol mostraram a fragilidade do setor defensivo, que terminou a competição como pior defesa entre os clubes do G4.

play
0:55

Champions: Lewandowski faz dois gols, Bayern dá show e passa fácil pelo Barcelona no Camp Nou; veja como foi

Além dos dois gols do polonês, Thomas Müller marcou no triunfo por 3 a 0

A instabilidade ainda se fez presente no Barcelona após a derrota para o Bilbao na decisão da Supercopa da Espanha, e no mês seguinte nos 3 a 0 sofridos diante da Juventus jogando em pleno Camp Nou.

Mesmo conseguindo garantir vaga para o mata-mata da competição europeia, o cenário ainda de muita instabilidade seguiu dando o tom da temporada catalã. E logo na abertura da fase oitavas de final, 4 a 1 para o Paris Saint-Germain, com show de Kylian Mbappé novamente dentro da casa do Barcelona. Com o empate na partida de volta, mais uma eliminação dura.

Com os resultados ruins dentro de campo, as notícias sobre um vestiário rachado elevaram a temperatura no clube. Apontado como pivô de atritos até Antoine Griezmann, Messi chegou a desabafar e dizer que 'estava cansado de ser sempre o problema de tudo'.

A passagem do craque pelo clube chegaria ao fim meses após, colocando ponto final em uma história de 14 temporadas no time profissional. Com problemas financeiros graves e sem conseguir se adequar ao fair-play financeiro de LaLiga, o Barcelona não conseguiu fazer caber no orçamento um novo contrato do argentino, que acertou sua ida para o PSG.

Mas qual é o peso de não ter mais Messi?

Além da óbvia ausência de um jogador que já venceu seis vezes a Bola de Ouro, não contar com o argentino em campo significa perder uma parcela importante de gols.

O antigo camisa 10 catalão foi responsável direto por 39 dos 85 gols marcados pelo Barcelona na última edição de LaLiga (30 tentos e 9 assistências). Mesmo na temporada anterior o fato pode ser claramente visto, já que Messi foi artilheiro e maior garçom do Espanhol em 2019/20 com 25 bolas na rede e 21 passes decisivos.

O desabafo de Piqué

Um dos líderes do elenco e pilar no processo de reformulação do Barcelona, Gerard Piqué fez um desabafo sincero sobre o momento atravessado dentro de campo. Em entrevista ao canal Movistar+, o zagueiro afirmou que o resultado diante do Bayern foi justo, e admitiu que sua equipe não está entre as favoritas ao título da Champions.

“Foi um péssimo resultado, não vamos enganar ninguém. Eles foram superiores e mereceram ganhar. Foi uma partida até competitiva até o 1º gol (do Bayern), mas nós sentimos muito o 2º gol. No final da temporada, veremos o que conseguiremos. Agora, está claro que existe uma diferença grande (entre Barcelona e os outros grandes times europeus). Creio que, quando voltarem, Ousmane (Dembélé) e Ansu Fati podem nos entregar bastante”, afirmou.

“Temos que ser sinceros: não estamos entre os favoritos. Mas não é algo ruim não ser o favorito. Muitas vezes não éramos os favoritos e conseguimos bons resultados. O Chelsea não era o favorito na temporada passada. As coisas ainda podem mudar muito. Somos o Barça”, seguiu.

“Também entraram muitos jogadores jovens, na faixa dos 18 anos, que deram a cara e competiram. Eles vão precisar de experiência, e vão precisar passar por essas situações”.