<
>

Brasil x Argentina: Presidente da AFA diz que time seguiu todos os protocolos: 'Não houve nenhuma mentira'

A partida entre Brasil e Argentina, neste domingo, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, na Neo Química Arena, foi suspensa pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) depois que fiscais da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) entraram no gramado e mandaram o jogo ser paralisado aos 4 minutos do 1º tempo.

Após a decisão pela suspensão do duelo, o presidente da AFA (Associação de Futebol Argentino), Claudio Tapia, declarou que não houve nenhuma violação e que todos os protocolos foram cumpridos, em entrevista à emissora TyC.

O Linha de Passe mostra toda a repercussão da suspensão de Brasil x Argentina. Clique e saiba como assinar e assistir pela ESPN no Star+!

“Parece-me que aqui não se pode falar de mentira nem nada. Existe uma legislação sanitária em que se disputam as datas da Fifa, como as taças da América do Sul. As autoridades de cada país aprovam os protocolos e nós cumprimos tudo”, disse Tapia.

"Chegamos até a entrar em regime de fretamento para cuidar de todos. Hoje vivemos isso, o que é lamentável, uma imagem muito ruim. Quatro pessoas sem máscaras interromperam o jogo. Não sabemos o que eles queriam nos avisar", completou.

O mandatário argentino ainda afirmou que a Argentina voltará para o país, após todo imbróglio. “Vamos voltar para a Argentina. Antecipamos o voo fretado”, afirmou.

Depois, em sua conta no Twitter, Tapia disse que agora a Fifa decidirá o que vai acontecer.

"Como presidente da AFA, lamento muito a suspensão do que deveria ser uma festa para o futebol sul-americano. Sempre nos guiamos pela legislação sanitária vigente da Conmebol. Ficamos agora à espera da resolução que será tomada pelo Comitê Disciplinar da Fifa", salientou.

Entenda o caso

Segundo a Anvisa, o goleiro Emiliano Martínez, o zagueiro Romero e os meias Buendía e Lo Celso, que atuam no futebol inglês e estiveram no Reino Unido nos últimos dias, não poderiam estar em campo.

Antes da partida, um acordo entre Governo, Fifa e Conmebol permitiu que os quatro atletas fossem de ônibus ao estádio, e, com isso, a partida foi iniciada. No entanto, o duelo foi interrompido após apenas quatro minutos de bola rolando.

Após alguns minutos da paralisação, o atacante Lionel Messi (sem uniforme) e o técnico Lionel Scaloni voltaram ao gramado e conversaram com jogadores do Brasil, com o técnico Tite e com o coordenador de seleções da CBF, Juninho Paulista, mas o jogo não foi retomado.

Em entrevista à TV Globo, o presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, informou que o quarteto argentino mentiu na entrada do Brasil sobre terem passado pelo Reino Unido nos últimos dias. De acordo com Torres, eles serão autuados, multados e deportados.