<
>

Riquelme fala do Atlético-MG, diz que eliminação na Libertadores dói e dispara contra atleta: 'Não respeitou o Boca'

play
Presidente do Boca Juniors diz que time foi 'tirado de propósito' da Libertadores: 'Por sermos os melhores' (2:41)

Jorge Amor Ameal falou com exclusividade com a ESPN Argentina (2:41)

Juan Román Riquelme, vice-presidente do Boca Juniors, falou com exclusividade ao Fútbol 90, da ESPN Argentina. Dentro os assuntos abordados, a troca de treinador, o elenco atual, a dolorosa eliminação na Conmebol Libertadores e a situação de Sebastián Villa.

O Boca Juniors volta a campo neste sábado (4) pelo Campeonato Argentino contra o Rosario Central e você assiste à partida AO VIVO pela ESPN no Star+. Clique aqui para saber mais informações, assinar e assistir.

O maior ídolo da história xeneize considerou que a saída de Miguel Ángel Russo foi uma "decisão normal", afirmou que era "o momento ideal" para a chegada de Sebastián Battaglia como treinador e declarou: "Villa desrespeitou o clube, a camisa e seus companheiros de equipe. Todo mundo sabe disso".

Veja abaixo as principais aspas de Riquelme em exclusiva à ESPN Argentina:

A saída de Miguel Ángel Russo

"Estou desfrutando muito, estamos no clube há um ano e meio. Estou muito mais feliz do que imaginava, cuidando muito bem do meu clube. Procuramos o Miguel (Russo) convencidos quando vencemos as eleições. Ele gostou muito de estar lá e nós gostamos de tê-lo. Ele nos ajudou muito, nos deu alegria e os resultados foram excelentes".

"Temos de tomar decisões e acreditamos que este era o momento ideal para Sebastián (Battaglia) assumir a equipe".

play
1:34

Presidente do Boca Juniors 'explica' confusão no Mineirão e diz: 'Fomos enganados na Bombonera e no Brasil'

Jorge Amor Ameal falou com exclusividade com a ESPN Argentina

“Tomamos decisões com muita calma, tranquilidade, segurança. A saída do Miguel foi uma decisão normal”.

"Amo muito o Miguel e ele me ama".

O início da era Battaglia

"Battaglia é o sonho de todas as crianças que vêm ao nosso clube. E para nós é bom vê-lo lá. Faz parte da história do nosso clube. Ele realizou todos os seus sonhos como jogador de futebol. E agora está se preparando como técnico. Passou um ano e meio dirigindo a reserva e tem se saído muito bem".

"Nós o vemos bem. Ele é uma pessoa calma, ele administra uma linha. Quando ele está feliz, você não percebe. E quando ele está triste, também não".

"Estamos muito felizes com o treinador que escolhemos".

Eliminação na Libertadores para o Atlético-MG

"Estávamos convictos que íamos vencer o Atlético Mineiro e isso aconteceu. Foi uma final para os jogadores que acabaram de chegar. Foi complicado, com tudo o que a Libertadores representa para o nosso clube."

"O time fez maravilhas e o adversário não nos chutou a gol".

"Dói ver a Copa Libertadores e não estar jogando. Devíamos estar lá".

"Veremos o que acontece com as sanções. Estou preocupado por ter ficado de fora como estávamos. Dói muito."

Os reforços e a situação atual do elenco

“Tantas coisas aconteceram nestes 60 dias que parece que se passou um ano. Ganhamos as três finais que disputamos: as duas na Libertadores e na Copa da Argentina. Só tenho que agradecer a esses caras".

"É preciso dar tempo aos meninos. Não é fácil vestir a camisa e fazer a diferença tão rapidamente. A coisa do (Juan) Ramírez é um caso único".

"Cada vez mais temos um plantel mais competitivo".

Situação de Sebastián Villa

"Está atravessando dias de isolamento e quando terminar tem de se apresentar para treinar. Provavelmente será segunda-feira."

"Ele tem um contrato com o nosso clube e tem de o respeitar. As coisas estão normais".

"Se Villa quer jogar no Boca? Você tem que perguntar a ele".

"Contraímos um clube com dívidas. Cuido mais do meu clube do que da minha família. Não vamos derretê-lo. Somos um clube sério e cumprimos todas as obrigações. Esperamos que o Villa cumpra as suas obrigações".

"Você ouviu alguém do clube dizer que o Villa está à venda? As ofertas podem chegar para todos. Melhoramos o contrato de Villa e ele concordou em assinar a cláusula que assinou".

"Conversei com ele e seu empresário quando ele não treinou por dois dias. Disse a ele o que o clube pensa. As coisas são claras e simples. Espero que ele tenha aprendido".

"Ele desrespeitou o clube, a camisa e os companheiros. Todo mundo sabe disso".

“Para nós o Villa foi muito importante. Quando decidimos trazer Cardona disseram que eu gostava dele e ele mostrou como joga bem. Pulga Rodríguez faz maravilhas. Existem jogadores muito bons no futebol argentino: Matías Suárez, Enzo Pérez, Marcos Rojo e Juan Ramírez jogam sempre bem".