<
>

Francês além de 'só' o PSG: 5 histórias para ficar de olho na temporada 2021/22 da Ligue 1

O Campeonato Francês está de volta. Nesta sexta-feira, o Monaco recebe o Nantes, às 16h (de Brasília), com transmissão ao vivo do FOX Sports, pela abertura da Ligue 1, competição que terá transmissão exclusiva dos canais esportivos do grupo Disney e que está muito longe de ser "só" o Paris Saint-Germain.

Dominante em solo nacional na última década, o PSG chega ainda mais forte com as contratações de Gianluigi Donnarumma, Sergio Ramos, Achraf Hakimi e Georginio Wijnaldum em busca de sua 10ª taça na competição.

Se alcançar a taça, o Paris irá se igualar a Olympique de Marselha e Saint-Étienne como os maiores campeões da história.

Independentemente desse cenário, o Campeonato Francês tem muitos outros atrativos além do favoritismo do time de Neymar e Kylian Mbappé.

Veja abaixo 5 pontos interessantes para se ficar de olho no decorrer da Ligue 1 2021/22.

Lyon, Monaco e Marselha: os postulantes a perseguir o PSG

Ainda que o Paris Saint-Germain, dono de sete dos últimos nove títulos, seja o com folga o principal favorito, ele terá de superar alguns adversários difíceis e com grande potencial, com destaque para três clubes.

O Monaco vai para o 2º ano de trabalho com Niko Kovac no comando e com muitos jovens potenciais já presentes no elenco, além da chegada de outros, como o atacante Myrom Boadu (20 anos, ex-AZ Alkmaar), que vem de 29 gols e sete assistências nas duas últimas edições de Campeonato Holandês acumuladas. Vale lembrar ainda que o time do principado terminou o último Francês na 3ª posição e a cinco pontos do campeão Lille, tendo entrado na última rodada com chances de título.

Já o Lyon pode até ter perdido Memphis Depay, seu principal jogador, mas conta com um meio de campo muito qualificado com Houssem Aouar e os brasileiros Bruno Guimarães e Lucas Paquetá voando baixo. No banco de reservas, chega Peter Bosz, que tem trabalhos irregulares, mas já mostrou conceitos interessantes por onde passou.

Por fim, o Olympique de Marselha terá sua primeira temporada completa sob o comando de Jorge Sampaoli, que foi contratado na reta final de 2020/21 e terá reforços interessantes no gol (Pau López), na defesa (William Saliba e Luan Peres), no meio de campo (Mattéo Guendouzi e Gerson) e no ataque (Konrad de la Fuente e Cengiz Under).

Lille: um campeão em xeque

Por outro lado, será curioso como o atual campeão Lille lidará com as suas adversidades.

Apesar de poder se orgulhar de ter superado o PSG na última Ligue 1 e no confronto direto (ganhou uma e empatou outra), além da Supercopa da França no último final de semana, o clube vive uma realidade financeira adversa.

Em meio a esse cenário, viu o técnico Christophe Galtier sair e perdeu dois titulares importantes: o goleiro Mike Maignan e o volante Boubakary Soumaré.

Clermont Foot: o conto de fadas do estreante

O clube - fundado em 1984 como Clermont Football depois de uma fusão - até disputou a 2ª divisão em 1988/89, antes de decretar falência em 1990 e ter de recomeçar da 6ª divisão nacional, precisando escalar os degraus do futebol local.

Em 2007, o clube estava de volta à Ligue 2 e por lá permaneceu por 14 anos seguidos até conseguir o acesso em 2020/21 ao ser vice-campeão da competição.

Treinado há quatro anos por Pascal Gastien, o time terá como missão a manutenção na elite e uma das principais armas para isso é o atacante Mohamed Bayo, de 23 anos, que foi o artilheiro da 2ª divisão na temporada passada com 22 gols.

Além disso, o meia Jason Berthomier, de 31 anos, foi o segundo principal garçom com 11 assistências, uma a menos do que o líder da estatística. Já na defesa, chamou atenção o fato de a equipe ter sofrido 25 gols, 10 a menos do que qualquer outra.

Nice: técnico atual campeão e um time com pretensão

Comprado em 2019 pela Ineos, grande empresa do ramo petroquímico, o Nice tem um projeto de crescimento, que tem sido evidenciado com a contratação de Christophe Galtier, o técnico que fez o Lille desbancar o PSG no Francês passado.

Agora, o treinador terá a missão de levar o 9º colocado da última edição (26 pontos atrás da zona de Champions League) a posições mais altas na classificação.

Para isso, o clube fez contratações de nomes de potencial, como o atacante Calvin Stengs, que vinha se destacando no AZ Alkmaar. Outros dois holandeses que chegam também chamam atenção: o atacante Justin Kluivert (emprestado pela Roma) e o meio-campista Pablo Rosario (contratado junto ao PSV). Outra novidade é o volante Mario Lemina, ex-Juventus, Southampton, Fulham e Olympique de Marselha.

Os reforços se juntam a alguns nomes conhecidos, como o zagueiro Dante, o volante Morgan Schneiderlin (ex-Manchester United) e o atacante Kasper Dolberg, que fez parte da Dinamarca semifinalista na Eurocopa. Há também mais um atleta para se destacar, mas ele entra no último tópico.

Os jovens para ficar de olho

Além das superestrelas do PSG e do meio-campo fortíssimo do Lyon, há muitos jovens de enorme talento na Ligue 1. E como estávamos falando no Nice, um deles é o atacante Amine Gouiri, de 21 anos, que foi contratado no meio de 2020 junto ao Lyon e somou 12 gols e sete assistências na edição passada do campeonato.

Já no Rennes, Eduardo Camavinga é um dos nomes mais cobiçados do futebol europeu. Afinal, trata-se de um meio-campista muito promissor e com vínculo só até o meio de 2022, podendo assinar um pré-contrato no começo do ano que vem. Com apenas 18 anos, ele já possui mais de 80 jogos por seu time e tem três partidas e um gol pela seleção francesa principal. Camavinga tem como companheiro de time o belga Jérémy Doku, um atacante de 19 anos que chegou como alto investimento em 2020 e vem de disputa da Eurocopa com a Bélgica.

No campeão Lille, Jonathan David marcou 13 gols e foi vice-artilheiro do elenco na conquista do título em 2020/21, além de ser um dos destaques da seleção canadense com apenas 21 anos de idade.

Outros de tantos jovens promissores são o zagueiro Benoît Badiashile (20 anos) e o volante Aurélien Tchouaméni (21 anos), que são titulares do Monaco e defenderam a França no Europeu sub-21 neste ano. O mesmo vale para o volante Boubacar Kamara, que aos 21 anos soma mais de 120 partidas pelo Marselha.