<
>

Crespo pergunta, ESPN responde: São Paulo já repetiu escalação desde a chegada do argentino?

A dificuldade do São Paulo de repetir o time titular de um jogo para outro é tema recorrente nas entrevistas de Hernán Crespo. Após o empate com o Palmeiras, no sábado (31), o argentino até questionou uma pergunta sobre "poupar" jogadores contra o Vasco, na quarta (4), pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

"Eu gostaria de saber se eu pude alguma vez nesses seis meses repetir os mesmos 11 jogadores. Você pode falar se eu poupei ou se foram escolhas, mas a questão é que nunca pude repetir. Não lembro de poder repetir os mesmos 11", disse o treinador.

A lamentação faz sentido. Levantamento feito pelo ESPN.com.br mostra que, em 41 jogos na atual temporada, Crespo só conseguiu repetir a escalação uma única vez: contra Ferroviária e Mirassol, na fase final do Campeonato Paulista.

O curioso é que isso aconteceu quando menos se esperava, já que as partidas foram separadas por apenas dois dias. O São Paulo fez 4 a 2 na Ferroviária no dia 14 de maio, uma sexta-feira, e voltou a jogar logo no domingo, dia 16, quando enfiou 4 a 0 no Mirassol.

Nestes dois jogos, Crespo escalou o Tricolor com: Tiago Volpi; Arboleda, Miranda e Léo; Igor Vinicius, Luan, Liziero, Gabriel Sara e Reinaldo; Benítez e Pablo.

Mas, mesmo quando conseguiu repetir o time, o treinador sofreu com desfalques, já que Daniel Alves, Luciano e Eder estavam machucados e, portanto, indisponíveis para esses jogos.

Crespo começou a trabalhar efetivamente no São Paulo em 26 de fevereiro, uma sexta-feira, dia seguinte ao encerramento do Campeonato Brasileiro. No domingo, já estreou: empate por 1 a 1 com o Botafogo-SP, em que montou o time com: Tiago Volpi; Arboleda, Bruno Alves e Léo; Igor Vinicius, Daniel Alves, Igor Gomes, Gabriel Sara e Reinaldo; Luciano e Pablo.

De lá para cá, mudanças foram constantes na equipe titular. Às vezes por opção, a maioria por obrigação a partir de lesões ou suspensões. Crespo também precisou rodar o elenco, como fez em parte do Paulistão e da Conmebol Libertadores.

Em diversas oportunidades, o treinador mandou a campo um São Paulo inteiramente reserva. Foi assim contra Guarani, Ituano e Mirassol, todos na primeira fase do Paulistão, mais três jogos na fase de grupos da Libertadores e o confronto com o 4 de Julho, na estreia da Copa do Brasil.

Mas nem isso impediu diversos problemas físicos, consequência, entre outras coisas, do planejamento de emendar uma temporada em outra. O São Paulo foi um dos poucos, se não o único dos chamados grandes, a não dar férias aos jogadores, já que iniciava um novo trabalho com Crespo e via o Paulistão como a maior chance para sair da fila.

A conquista de fato aconteceu, mas agora a comissão técnica tenta recolocar o time nos eixos fisicamente para o restante da temporada. São 52 jogos em 2021, somando a reta final da temporada passada e esta, com pelo menos mais 27 garantidos, entre Brasileirão, Libertadores e Copa do Brasil.

É bastante tempo para repetir a escalação. Mas certamente não será contra o Vasco. Marquinhos, atacante promovido da base, deixou o clássico com problemas musculares e deve passar algumas semanas de molho. Para não correr mais riscos, Crespo deve rodar a equipe que tentará a classificação em São Januário.