<
>

Gabriel diz por que Corinthians x Flamengo será 'final', cita postura após 5 x 1 e crava o que é fundamental no jogo

Há mais de um mês sem vencer na Neo Química Arena, o Corinthians terá pela frente o Flamengo, neste domingo, às 16h, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Um dos pilares do time paulista neste período de reconstrução, o volante Gabriel concedeu entrevista exclusiva ao ESPN.com.br e falou, dentre outros assuntos, como será enfrentar um dos melhores elencos do país.

A última visita do Flamengo à Neo Química Arena não traz boas memórias ao torcedor do Corinthians. Com grande atuação de nomes como Vitinho e Everton Ribeiro, o Rubro-Negro atropelou o Timão por 5 a 1. Para Gabriel, o Corinthians precisa ter postura diante do rival em casa para encerrar o jejum.

"A postura do Corinthians hoje é diferente do último jogo, até por jogar de uma outra maneira. A gente não pode nunca aceitar aquilo que aconteceu quando se trata de Corinthians. Temos que fazer um grande jogo. O momento é outro. É uma página virada. Fizemos uma semana voltados para ao estilo de jogo, a como vamos fazer", disse o volante.

"A equipe vem evoluindo, fazendo bons jogos. A gente sabe da importância desses três pontos, que nos dá uma confiança. E quando você ganha jogos, ainda mais nesse nível, isso dá uma confiança e um respeito maior dentro do campeonato. Sabemos que é um divisor, que vamos ter que fazer um grande jogo. É uma equipe que tem muita qualidade. Mas o Corinthians tem muita força e qualidade".

O Flamengo vive grande momento na temporada. Após a saída de Rogerio Ceni e a chegada de Renato Gaúcho, o time engrenou uma sequência de grandes resultados e tem mostrado um poderio ofensivo semelhante ao de 2019, quando o time era comandado por Jorge Jesus.

A equipe soma 21 gols em cinco partidas. No último compromisso pelo Campeonato Brasileiro, com três gols de Bruno Henrique, o Flamengo aplicou um sonoro 5 a 1 em cima do São Paulo, no Maracanã. Apesar do grande momento do rival, Gabriel explicou como deve ser a marcação diante do criativo e intenso meio-campo do Rubro-Negro.

"Eles têm muitas movimentações pelos jogadores de não guardarem muita posição, de querer rodar o campo e sempre gostar da bola. A comunicação vai ser muito importante. Se um for para o meio e outro aberto, e você ficar na sua posição, vai bater com o jogador que chegar ali. Essa troca de marcação tem que ser bem-feita na hora que der para trocar. A concentração nesses jogos é fundamental", explicou Gabriel.

Atualmente, o Corinthians faz uma campanha instável no Campeonato Brasileiro. A equipe paulista está na 10ª colocação, com 17 pontos. São quatro vitórias, cinco empates e outras quatro derrotas.

Apesar da distância de 14 pontos para o líder Palmeiras, Gabriel se apega ao Corinthians de 2017 por uma reação da equipe na temporada. Taxado como 'quarta força' do futebol paulista no início daquele ano, a equipe de Fabio Carille calou os críticos e conquistou os títulos do Campeonato Paulista e do Campeonato Brasileiro.

"Trabalhar jogo a jogo. 2017 é um exemplo que uso bastante. Nós adotamos o campeonato como 38 decisões. A nossa final agora é contra o Flamengo. Temos que fazer de tudo para vencer e conseguir os três pontos. E aí chegar lá na reta final com chances de título, numa colocação de Libertadores".

"Quando ganha e está lá em cima o time joga mais leve, joga mais solto. Isso é natural do processo. Eu acredito ainda em título. São pontos que nos distanciam do pelotão de cima, mas para a zona de Libertadores é uma diferença mínima. Nós temos que estar com a cabeça fria para pensar no Flamengo, e depois no próximo jogo", finalizou.