<
>

Prefeitura do Rio projeta 50% de público no Maracanã em 2 de setembro e exigirá torcedores completamente vacinados

play
'Pedro ficou no fogo cruzado entre CBF e Flamengo': Sormani comenta ausência do atacante nas Olimpíadas (1:05)

Atacante de 24 anos não está disputando os Jogos Olímpicos de Tóquio porque não foi liberado pelo Flamengo (1:05)

O público nos estádios do Rio de Janeiro está perto de voltar. De acordo com o plano de retomada da Prefeitura, divulgado nesta quinta-feira (29), os jogos de futebol terão torcida já em setembro.

No documento, o governo planeja que a partir do dia 2 de setembro os jogos na cidade tenham 50% da capacidade de cada estádio. O requisito básico é de que cada torcedor que ingresse ao local de jogo tenha a vacinação completa contra a COVID-19 e esteja portando máscara e álcool em gel. Ao contrário do que aconteceu na final da Copa América, por exemplo, o exame PCR negativo não será suficiente.

Além disso, a Prefeitura acredita que no dia 17 de outubro já seja possível ter 100% do estádio com torcida nas condições acima. Além disso, a expectativa é de que no dia 15 novembro aconteça a livre circulação sem qualquer medida restritiva. na cidade.

Confira abaixo de forma detalhada

2/09

- Liberação de eventos em ambientes abertos. Requisitos: Máscara e álcool em gel

- Permissão de público com esquema vacinal completo em estádios (50% da capacidade). Requisitos: Vacina completa, máscara e álcool em gel.

- Permissão de público com esquema vacinal completo em danceterias, boates, casas de show e festas em locais fechados (50% da capacidade). Requisitos: vacina completa, máscara e álcool em gel.

17/10

- Permissão de público com esquema vacinal completo em estádios (100% da capacidade). Requisitos: vacina completa, máscara e álcool em gel.

- Permissão de público com esquema vacinal completo em danceterias, boates, casas de show e festas em locais fechados (100% da capacidade). Requisitos: vacina completa, máscara e álcool em gel.

15/11

- Uso de máscara obrigatório apenas em transporte público e estabelecimentos de saúde.

- Livre circulação, sem restrição e capacidade de distanciamento.