<
>

CBF convoca assembleia para discutir processo contra Caboclo e saída definitiva de cartola afastado

A CBF enviou nesta segunda-feira (26) uma circular de convocação para uma assembleia geral extraordinária que discutirá, entre outros assuntos, a saída definitiva de Rogério Caboclo da presidência da entidade.

O encontro semipresencial acontecerá na próxima terça-feira (3), a partir das 15h, com os presidentes das 27 federações estaduais do Brasil e mais Antônio Carlos Nunes de Lima, presidente interino da CBF desde o afastamento de Caboclo, em 6 de junho.

Além da saída definitia do cartola, investigado por assédios moral e sexual contra uma funcionária da CBF, a assembleia também discutirá a entrada de um processo contra Caboclo.

"Deliberar sobre a concessão de poderes à Diretoria Jurídica, para, em nome da CBF, tomar as medidas judiciais cabíveis contra o Sr. Rogério Langanke Caboclo, ingressando, se necessário for, com ações próprias ou de regresso, visando obter a reparação dos danos morais e patrimoniais causados à CBF pelas condutas do presidente afastado", diz o item 4 da circular.

Já de acordo com o item 5 da circular enviada aos cartolas, a assembleia irá "conhecer, apreciar e deliberar sobre sanções da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro a dirigentes eleitos, que sejam de competência da Assembleia Geral Administrativa, conforme previsto no parágrafo único, do art. 22, do Código de Ética do Futebol Brasileiro".

A expectativa nos bastidores da CBF é que a Comissão de Ética tome uma decisão sobre Caboclo, investigado por assédios moral e sexual a uma funcionária da entidade, até a próxima segunda-feira (2). Por isso, a marcação da assembleia para o dia seguinte.

Importante ressaltar que, para que Caboclo seja afastado definitivamente, não basta só o parecer da Comissão de Ética. É preciso que haja uma ratificação via assembleia, que também discutirá a permanência do Coronel Nunes até a escolha de um sucessor.

Nesta segunda-feira (26), em mais um capítulo político na CBF, a Justiça do Rio de Janeiro decidiu pela anulação da Assembleia Geral da CBF que mudou a forma de votação para a presidência da entidade. Isso automaticamente invalida a eleição de Caboclo, em abril de 2018.

A CBF ainda recorrerá para reverter a decisão, que coloca o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e também o da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, como comandantes interventores da entidade por 30 dias.