<
>

São Paulo e Grêmio rebaixados? Relembre grandes que passaram pelo mesmo sufoco no Brasileirão

O começo tão ruim de Campeonato Brasileiro preocupa as torcidas de São Paulo e Grêmio. De candidatos a pelo menos brigar por vaga na Conmebol Libertadores, os dois largaram mal a ponto de, hoje, "só" lutarem contra o rebaixamento.

Goleado pelo Flamengo no domingo (25), o time paulista é o 17º colocado, com menos pontos (11) do que jogos (13) e apenas duas vitórias, uma campanha que contrasta com o título estadual e o desempenho na Libertadores.

O Grêmio está duas posições abaixo, com sete, mas tem um alento: fez duas partidas a menos que alguns concorrentes. Ou seja, só depende de suas próprias forças para deixar a degola. O problema é que precisa ganhar, algo que só fez uma vez em 11 atuações.

Iniciar de um jeito negativo não é uma novidade para os chamados grandes do país. Desde 2006, quando o Brasileirão adotou a atual fórmula (pontos corridos, turno e returno e 20 clubes), praticamente todos passaram por isso pelo menos uma vez. A maioria escapou do rebaixamento, mas alguns...

O ESPN.com.br levantou alguns exemplos abaixo, que começam com o Corinthians de 2006, liderado por ninguém menos que Carlos Tevez, até o Botafogo de 2020. Quem foi rebaixado? Quem conseguiu se salvar? Relembre um pouco das campanhas abaixo:

2006

O Corinthians de 2006 tinha, no papel, um timaço: Tevez, Nilmar, Mascherano, Carlos Alberto, Ricardinho e outros tantos. Mas o que vale é que, na 13ª rodada, o time alvinegro era o lanterna do Brasileirão, com dez pontos.

O fim da história tinha tudo para ser trágico para o Timão, principalmente após as saídas das estrelas argentinas, mas o clube conseguiu uma arrancada. Acabou em 10º lugar, ainda beliscando uma vaga na Copa Sul-Americana.

2008

Um ano antes do surgimento de Neymar, o Santos também viveu uma situação horrível na largada do campeonato, ao terminar a 13ª rodada como vice-lanterna, com somente 11 pontos.

O rebaixamento não aconteceu, mas isso não significa que a campanha do Peixe tenha sido ótima. O time liderado pelo atacante Kleber Pereira acabou o Brasileiro em 15º lugar, com 45 pontos, um acima do Z-4.

2009

Essa história é bem conhecida: o Fluminense lutou até o fim contra um rebaixamento que parecia certo, mas conseguiu evitá-lo graças a uma arrancada histórica, liderada pelo atacante Fred em campo e por Cuca no banco de reservas.

Na 13ª rodada, o Tricolor somava apenas dez pontos, suficiente para ser o vice-lanterna. Meses depois, a campanha acabou com um modesto, mas comemorado, 16º lugar, com 46 pontos.

2010

Foi a vez do Atlético-MG passar um pouco de sufoco. Em 2010, o time alvinegro chegou à 13ª rodada com a segunda pior campanha: apenas dez pontos e uma situação preocupante para quem tinha, entre outros, Diego Souza, Diego Tardelli e Obina.

Para evitar o segundo rebaixamento em pouco tempo (o outro foi em 2005), os atleticanos nem precisaram atropelar seus rivais. Chegaram a 45 pontos, o bastante para fechar o ao em 13º lugar, com Sul-Americana garantida.

No mesmo campeonato, o Grêmio era o antepenúltimo colocado, com só 12 pontos em 13 rodadas. E acabou com uma campanha histórica, ao arrancar para o 4º lugar e garantir uma vaga na Libertadores do ano seguinte.

2012

Chegamos ao primeiro caso de um grande que estava mal após 13 jogos e não conseguiu se recuperar. Há 9 anos, o Palmeiras era o 18º colocado nessa altura do campeonato, com apenas dez pontos somados.

O Verdão priorizou a Copa do Brasil, que acabou conquistando, e sofreu uma troca no comando com a saída de Luiz Felipe Scolari. Gilson Kleina assumiu e não conseguiu evitar o rebaixamento, consumado com 34 pontos.

2013

O São Paulo teve um começo bem ruim de campanha em 2013, ao somar 12 pontos em 13 rodadas. Era o 17º colocado, abrindo a zona de rebaixamento, e acumulava resultados decepcionantes.

Após Ney Franco e Paulo Autuori, coube a Muricy Ramalho evitar o primeiro rebaixamento tricolor. O time de Rogério Ceni, Jadson, Ganso e Luis Fabiano acabou em 9º lugar, com 50 pontos.

2014

Atual bicampeão brasileiro, o Flamengo era o lanterna do campeonato em 2013, com dez pontos em 13 rodadas. Mas iniciou uma campanha de recuperação que rendeu, ao fim da temporada, o 10º lugar.

O time de Léo Moura, André Santos e Hernane Brocador fez um segundo turno bem superior e fechou sua campanha com 52 pontos, o bastante para avançar à próxima edição da Sul-Americana.

2015

Nenhum grande fez menos pontos que o Vasco nos primeiros 13 jogos desde 2006: somente nove, o que garantiu ao time carioca a vice-lanterna naquela altura da competição.

E um começo tão ruim assim não foi perdoado. O Vasco acabou rebaixado naquele ano, ao fechar sua campanha com 41 pontos, em 18º lugar na tabela.

2017

De novo o São Paulo com uma arrancada ruim: 12 pontos em 13 jogos e o 17º lugar, campanha idêntica a de quatro anos antes.

E, como em 2013, o time conseguiu escapar do rebaixamento. Foi com mais dificuldade, mas, apoiado na grande fase de Hernanes e em nomes como Cueva e Lucas Pratto, terminou na 13ª colocação, com 50 pontos.

2019

Dez pontos em 13 jogos foi o desempenho ruim do Cruzeiro, que muitos apostavam em candidato ao título em 2019. Mas não foi assim que a história acabou.

Prejudicado por uma crise imensa nos bastidores e pela troca de comando (Mano Menezes, Rogério Ceni e Abel Braga), a Raposa acabou em 17º lugar, com 36 pontos.

2020

O quarto e último rebaixado do levantamento foi o Botafogo. Largou com 12 pontos nas primeiras 13 rodadas, desempenho que lhe deu a vice-lanterna da competição.

O resto da campanha conseguiu ser até pior, já que o Fogão terminou como último colocado. Fechou o Brasileiro com apenas 27 pontos e hoje disputa a Série B.