<
>

Quem são (e quanto devem custar) oito destaques da Eurocopa que podem mudar de clube no mercado

play
Southgate faz melhor trabalho que Tite? Rodrigo Bueno cita 'material humano' avalia: 'Levou a Inglaterra mais longe que o Brasil na Copa do Mundo' (3:37)

'Eu fico com Southgate acima do Tite'; completou o comentarista (3:37)

Os grandes torneios internacionais costumam revelar alguns jogadores que, graças às suas atuações, ganham grandes oportunidades. Mas basear transferências por alguns bons jogos pode ser perigoso - como a transferência do Manchester United pelo astro tcheco Karel Poborsky após a Eurocopa de 1996 ou a contratação de James Rodriguez pelo Real Madrid por 75 milhões de euros após a Copa do Mundo de 2014.

A Euro 2020 foi vitrine para muitos talentos, mas quais jogadores poderiam ser considerados uma contratação confiável para os clubes?

Mikkel Damsgaard, atacante (Sampdoria, Dinamarca)

Para aqueles que não têm assistido o Campeonato Italiano de perto, Damsgaard pode ser relativamente desconhecido. Mas o meio-campista, muito bom tecnicamente, tem sido observado por muitos dos melhores clubes europeus após uma excelente temporada de estreia na Itália. Bom de bola, rápido e ágil, confortável com ambos os pés e capaz de fazer gols de longe - como ficou provado com aquela espetacular cobrança de falta para a Dinamarca na semifinal contra a Inglaterra - Damsgaard é muito eficiente no terço final com dribles rápidos ou um passe criativo.

Embora na maioria das vezes tenha sido escalado por Claudio Ranieri na Sampdoria na ponta esquerda, Damsgaard, de 21 anos, também fica à vontade jogando como um "8" no centro do meio-campo. O presidente da Sampdoria, Massimo Ferrero, reiterou que Damsgaard não deixará o clube na próxima temporada, embora isso possa mudar se as ofertas vierem em torno de 30 milhões de euros.

Alexander Isak, atacante (Real Sociedad, Suécia)

Apesar de não ter feito gols na Euro, o centroavante mostrou um bom desempenho - menos evidente do que suas atuações pela Real Sociedad. Principalmente um goleador (ele marcou 33 gols em 89 jogos nas duas últimas temporadas) que gosta de jogar nas costas dos zagueiros LaLiga. Pela Suécia, voltava mais para buscar jogo, driblou bem no contra-ataque e mostrou eficiência ao segurar a bola.

Estreou como profissional aos 16 anos de idade pelo AIK, de onde depois se transferiu para o Borussia Dortmund em 2017, Isak está há muito tempo no radar dos principais clubes europeus. Embora ele tenha lutado para ter seu espaço na Bundesliga, sua habilidade de se impor em grandes jogos certamente vai atrair novamente as atenções. Isak, de 21 anos, fez um novo acordo de cinco anos com a Sociedad logo após a saída da Suécia do torneio, ao mesmo tempo em que, segundo consta, aumentou sua cláusula de liberação de 70 milhões de euros para 90 milhões de euros.

Patrik Schick, atacante (Bayer Leverkusen, República Tcheca)

Há anos, os olheiros esperam que este talentoso centroavante chegue ao próximo patamar. Após surgir como promessa na adolescência pela Sampdoria em 2016, Schick não foi muito convincente, com apenas oito gols em 58 jogos depois de uma transferência de 14 milhões de euros para a Roma. Ele voltou ao caminho certo na Bundesliga com um empréstimo ao RB Leipzig, que acabou resultando em uma transferência de 26,5 milhões de euros para o Bayer Leverkusen em setembro de 2020.

Na Euro 2020, Schick mostrou porque ele é tão bem cotado por suas excelentes finalizações. Contra a Escócia, ele abriu a conta para a República Tcheca com uma cabeçada brilhante (enquanto era marcado por dois oponentes), antes de continuar a marcar um possível candidato a gol do torneio com um chute do meio de campo. Ele marcou outro contra a Croácia e, no mata-mata, seu gol de oportunismo ajudou a liquidar a Holanda. A Dinamarca provou ser boa demais nas quartas-de-final, mas ainda assim ele fez um gol de consolação, com seu pé mais fraco, para empatar com Cristiano Ronaldo em cinco gols na disputa da Chuteira de Ouro (embora a assistência de Ronaldo o fizesse ganhar).

Ele é praticamente um centroavante completo e poderia estar na disputa pelo título de artilheiro da Bundesliga se seu bom desempenho continuar na próxima temporada. Quem apostaria contra Schick, de 25 anos, para eventualmente substituir Robert Lewandowski no Bayern de Munique?

Joakim Maehle, Lateral-direito, (Atalanta, Dinamarca)

Uma das revelações do torneio, o lateral dinamarquês justificou a Atalanta ter pago 12 milhões de euros para contratá-lo do Genk em janeiro, e por que vários outros clubes de ponta da Itália, França e Alemanha estão claramente arrependidos de não terem se esforçado mais para seduzi-lo.

Maehle já havia superado o nível do Campeonato Belga após três temporadas e meia de atuações cada vez melhores. Embora antes atraísse a maioria dos elogios por seu jogo seguro, foram seus dois belos gols, o domínio da bola, a habilidade no um contra um e os bons cruzamentos - tudo isso é incomum vindo de um lateral-direito - que fizeram as pessoas falarem durante a incrível campanha da Dinamarca até as semifinais. Ele enfrenta uma dura competição na Atalanta em ambos os espaços de lateral - com Hans Hateboer e Robin Gosens - mas, apesar do interesse de vários grandes clubes, será necessário pagar uma quantia na ordem de 50 milhões de euros para que os italianos considerem a possibilidade de deixá-lo ir.

Dani Olmo, meia-atacante (RB Leipzig, Espanha)

Em uma Espanha que depende mais do talento individual no ataque do que as seleções anteriores dirigidas coletivamente, Olmo, 23 anos, foi a ameaça mais constante do país durante a Euro 2020. Ele não apenas fez dois excelentes cruzamentos na vitória épica na prorrogação contra a Croácia, ele foi fundamental como um "falso 9" antes da entrada de Álvaro Morata na derrota nos pênaltis contra a Itália na semifinal. Com sua mudança de ritmo, corrida direta - com ou sem a bola - e uma vontade quase exagerada de chutar de dentro e ao redor da grande área, foi difícil parar Olmo sem falta.

Como um jovem formado no Barcelona, sua habilidade com a bola não está em questão. Ele mostrou uma notável ousadia ao se mudar para o Dínamo de Zagreb, da Croácia, aos 16 anos, para dar o iniciar sua carreira. Agora, após uma transferência de 30 milhões de euros para Leipzig em 2020, ele está começando a mostrar o quão bom jogador ele é. A consistência e a firmeza de suas atuações pela Espanha - jogando em ambos os lados do ataque ou como atacante móvel - é mais uma prova de que ele está pronto para desafios ainda maiores e, com uma cláusula de liberação de 75 milhões de euros em seu contrato, é provável que ele seja muito procurado pelos melhores clubes europeus.

Renato Sanches, meio-campo (Lille, Portugal)

Sanches passou os últimos anos tentando redescobrir a forma que lhe valeu uma transferência de 80 milhões de euros do Benfica para o Bayern de Munique após suas atuações espetaculares por Portugal na Euro 2016, aos 18 anos de idade. Vencedor do prêmio Golden Boy cinco anos atrás, ele lutou para recuperar aquele nível e até foi emprestado ao Swansea em 2017/18, mas agora encontrou um novo fôlego em Lille.

Desempenhando um papel na surpreendente conquista do título do Lille nesta temporada, Sanches se tornou um meio-campista central mais paciente e ponderado. Agora, muitas vezes mais envolvido do que em seus primeiros dias, Sanches impressionou na Euro 2020 com sua visão, tranquilidade com a bola na troca de passes - enquanto ele ainda era capaz de iniciar algumas jogadas ofensivas no meio-campo. Com apenas 23 anos de idade, os melhores clubes poderiam estar seguros de que, com sua classe, experiência (sim, experiência) e inteligência, Sanches pode atuar no mais alto nível do futebol europeu.

Xaver Schlager, volante, (Wolfsburg, Áustria)

Schlager, 23 anos, foi um dos melhores jogadores da seleção austríaca que não conseguiu superar a Itália nas oitavas de final. Cheio de confiança após uma temporada impressionante com o Wolfsburg, Schlager pegou, recuperou a bola e a distribuiu de maneira simples e consistente.

Enquanto a maior parte da conversa antes do torneio havia sido voltada para Marcel Sabitzer, a dupla de meio-campo defensivo entre Schlager e Konrad Laimer foi impressionante por si só. Ambos pressionaram, incomodaram os adversários e tornaram as coisas difíceis nas regiões centrais, mesmo contra um maravilhoso meio-campo italiano. Foram seus esforços no meio-campo que permitiram que os atacantes austríacos desempenhassem suas funções urgentes no alto do campo, e o perfil de Schlager cresceu consideravelmente à medida que os clubes procuravam um jogador sólido para montar o meio campo ao redor.

Roman Yaremchuk, atacante, (Gent, Ucrânia)

Após uma temporada de 23 gols em 43 jogos no futebol belga, o centroavante de 1,90m foi um dos jogadores que os olheiros mais queriam ver durante a Euro 2020. Ele impressionou com um par de gols bem feitos e uma exibição respeitável durante todo o torneio. Muito na mesma linha que em nível de clube, Yaremchuk, de 25 anos, mostrou sua movimentação inteligente sem bola e força física, assim como a capacidade de finalizar a partir de vários lugares.

Acrescente a isso um chute preciso de pé direito impressionante, bom na bola parada e velocidade respeitável, e Yaremchuk poderia surgir como um candidato de credibilidade para um clube da primeira prateleira europeia na próxima temporada.