<
>

Southgate condena ataques racistas contra jogadores da seleção após derrota na Euro 2020: 'Imperdoável'

Neste último domingo (11) a Inglaterra foi derrotada pela Itália nos pênaltis, em pleno Estádio de Wembley, em Londres, e ficou com o vice-campeonato da Eurocopa 2020. O técnico Gareth Southgate não gostou dos diversos ataques racistas que seus jogadores sofreram após a partida e ainda condenou a atitude como “imperdoável”.

Bukayo Saka, Jadon Sancho e Marcus Rashford não conseguiram marcar na disputa de pênalti, acabaram saindo como vilões da torcida inglesa e foram os alvos de ofensas nas redes sociais.

“Não estou totalmente ciente de tudo, mas, meus primeiros pensamentos nessa manhã foram nos meninos que estão fazendo muito pela gente. Eles deveriam estar, e acho que estão, incrivelmente orgulhosos do que fizeram. Para alguns deles, sofrer abusos é realmente imperdoável. Sei que muito disso veio do exterior. As pessoas que rastreiam essas coisas conseguiram nos explicar isso, mas não tudo. E é exatamente o que nós não defendemos”, afirmou Southgate em entrevista nesta manhã de segunda-feira.

Além dele, a FA (Federação Inglesa de Futebol), o Arsenal, clube do meia-atacante Bukayo Saka, e até o Príncipe William, da Grã-Bretanha, também emitiram comunicados condenando as ofensas racistas.

O técnico da Inglaterra ainda aproveitou para ressaltar que foi por escolha dele que os três jovens fossem bater os pênaltis e não os atletas mais experientes do elenco.

“Não foi o caso de jogadores não se oferecerem ou jogadores experientes se omitirem. Foi minha escolha, de mais ninguém. Ainda acredito muito neles. Esses meninos fizeram um trabalho brilhante e nós vamos nos recuperar juntos, como equipe. E sei que 99% da torcida também vai, porque eles vão apreciar o quão bem eles jogaram”, explicou o comandante.