<
>

Grêmio faz longa reunião no vestiário e dá 'ultimato' a Tiago Nunes

play
Grêmio: Berton explica 'ultimato' a Tiago Nunes e diz que tipo de perfil clube vai buscar se técnico for demitido (2:29)

Luiz Felipe Scolari voltando? Veja as informações de Gustavo Berton (2:29)

Lanterna do Campeonato Brasileiro, com só dois pontos, o Grêmio ainda não pensa em demitir Tiago Nunes. O clima depois da derrota para o Juventude, por 2 a 0, na quarta-feira, porém, o clima foi de cobrança em tom de "ultimato" ao treinador, que ainda não venceu na Série A.

"Tivemos uma longa reunião agora. Obviamente estamos indignados e chateados. Fizemos uma partida muito abaixo do que esperávamos. Parece que nós voltamos algumas casinhas da ascendente que vínhamos. Debatemos longamente e é algo que vamos fazer. Cobramos muito da nossa comissão técnica, podemos fazer mais com o elenco que temos", disse o vice-presidente de futebol Marcos Herrmann.

"No dia a dia no CT, o trabalho é muito bom. Mas ainda não está dando resultado, isso é incontestável. Cobramos muito a comissão no vestiário porque precisamos destes resultados. Isso foi compreendido pela comissão porque eles também querem estes resultados. Não é nesse instante ou nos próximos dias que vai acontecer a troca dessa comissão técnica", seguiu.

Herrmann evitou dar um "prazo" para Nunes, mas falou que o Grêmio terá que "remobilizar para domingo", quando enfrenta o Atlético-GO, em casa. "O futebol é dinâmico. Essa frase tem décadas. Cada dia é um dia. Precisamos resolver os problemas diariamente. Queremos um futebol convincente, que demonstre que podemos fazer virada no Brasileirão porque elenco nós temos. É preciso mostrar isso dentro de campo, não tem lero-lero."

play
1:33

Vice do Grêmio diz que trabalho de Tiago Nunes é bom, mas cobra resultados: 'Seis jogos sem vitória é inaceitável'

'Estamos indignados'; destacou Marcos Herrmann

A fala foi semelhante à do presidente tricolor, Romildo Bolzan, que cobrou vitórias. "Capacidade de reação, vencer e superar para sair dessa condição. O fato novo é se teremos capacidade de indignação ou não. Basicamente isso. Não tem mais espaço para derrota e para vacilar, para ficar esperando. Ou fazemos a mudança em uma atitude forte com uma vitória, ou vamos começar de novo. O fato novo é a vitória."

Tiago Nunes, por sua vez, minimizou a possibilidade de ser demitido.

"Questão de ser demitido não entra em pauta neste momento. Nunca fiz meu trabalho pensando em segurar emprego, por isso que cheguei ao Grêmio e em outros grandes clubes do cenário nacional saído do interior do Rio Grande do Sul com conquistas nacionais e internacionais. Nunca trabalhei pensando em segurar emprego. Sempre trabalhei pensando em dar o meu melhor e ajudar àqueles que estão a minha volta."