<
>

Palmeiras: os motivos que fazem clube rejeitar a contratação de Diego Costa

O Palmeiras não pretende fazer qualquer nova investida para contratar Diego Costa. Apesar da informação do jornalista Jorge Nicola, que o jogador aceitaria reduzir sua pedida para retornar ao Brasil, o clube alviverde vê o negócio como inviável, segundo apurou o ESPN.com.br.

O atacante, que deixou o Atlético de Madrid, da Espanha, no final de 2020, de fato, foi oferecido ao Palmeiras, mas há quatro meses. À época, o pedido foi por R$ 2 milhões mensais em salários, além de um bônus de 4 milhões de euros (cerca de R$ 23 milhões na cotação atual) pela assinatura de contrato.

A equipe paulista entendeu os valores como fora da realidade e não deu sequências as conversas, que em nenhum momento foram retomadas desde então.

Além do fator financeiro, também pesou contra Diego Costa, na avaliação alviverde, o alto número de lesões recentes do jogador. Em 2020, por exemplo, o jogador perdeu mais de 130 dias afastado por problemas físicos – o mais grave, uma hérnia discal, que o tirou dos campos por 94 dias entre o fim de 2019 e fevereiro do último ano.

Atrapalhado pelas lesões, o jogador também viu seu desempenho cair. Nas duas últimas temporadas, por exemplo, foram apenas sete gols em 37 jogos. Bem distante, por exemplo, dos números que teve em seu último ano no Chelsea, com 22 tentos em 42 aparições.

Com 32 anos, Diego Costa também não ofereceria ao Palmeiras qualquer chance de recuperar parte do investimento com uma revenda, o que também afastou o clube da possibilidade de embarcar no alto investimento que seria necessário para a contratação.