<
>

Eurocopa: Croácia pode entrar para grupo de luxo de vices da Copa do Mundo eliminados na fase de grupos

Vice-campeã da Copa do Mundo de 2018, a seleção da Croácia vem decepcionando muitas pessoas com sua campanha na Eurocopa. Em duas partidas, conseguiu somente um empate contra a República Tcheca, mas com atuações de nível abaixo do que ocorreu no mundial.

O histórico recente de vices mundiais em Eurocopas, porém, pode ajudar a ‘explicar’ o desempenho decepcionante do time de Luka Modric e cia na competição deste ano.

Os últimos quatro países europeus que ficaram com a segunda posição na Copa acabaram eliminados na Euro seguinte, com exceção de 2000 e 2016, quando os vices anteriores foram, respectivamente, Brasil e Argentina.

Tudo começou em 1996, quando a Itália empatou com quatro pontos contra a República Tcheca no grupo C, mas ficou em terceiro na chave por conta dos critérios de desempate, inaugurando a ‘maldição’.

Em 2004, a Alemanha fez somente dois pontos, ficando na frente, somente, da Letônia e sendo eliminada precocemente na fase de grupos pela segunda vez em sequência.

Quatro anos depois, uma França em crise fez feio ao conseguir somente um empate e ficar em último na chave que tinha Holanda e Itália. A reedição da final da Copa do Mundo anterior, inclusive, terminou em nova vitória italiana, desta vez no tempo normal.

Por fim, em 2012, a Holanda fez ainda pior que os franceses no torneio. Além de ficar em último no grupo B, o time saiu zerado da competição, o que rendeu a demissão do técnico Bert van Marwijk.

A última vez que um vice-campeão mundial conseguiu avançar na Eurocopa seguinte foi em 1988, quando a Alemanha Ocidental, então dona da casa, avançou em primeiro no grupo A, mas foi eliminada na fase seguinte.

Agora, a Croácia depende somente de uma vitória contra a Escócia para conseguir quebrar essa sina. Do contrário, entrará para a inglória estatística.