<
>

Copa América: remanescente de 2011, Suárez aponta três motivos para acreditar no 16º título do Uruguai

Depois de folgar na primeira rodada da Copa América, o Uruguai faz sua estreia nesta sexta-feira (18), às 21h, contra a Argentina, no Mané Garrincha. E um remanescente do último título, em 2011, estará presente em 2021 e é o grande nome da Celeste Olímpica: Luis Suárez.

Em entrevista ao programa 'Telenoche', do canal 4 do Uruguai, Luisito apontou os três motivos que o fazem sonhar com um novo título do Uruguai na Copa América: os filhos Delfina, Benjamín e Lautaro.

"Este último ano foi difícil para eles por causa da mudança de cidade, mas eles entenderam. Eles entenderam por que a mudança era pelo que papai estava passando. Minha esposa sofreu mais do que qualquer um no dia a dia comigo, ela me apoiou. É por isso que ter vencido a LaLiga este ano com o Atlético de Madrid, um torneio tão importante, é muito especial", começou por afirmar o artilheiro.

"Eles sofreram toda a situação comigo. Por isso agora vou voltar a jogar uma Copa América com a Delfina com 10 anos anos, o Benja que vai fazer 8 e o Lauti, com quase três anos, já entende tudo o que é futebol e pergunta quando vou ou volto da concentração. Por tudo isso seria especial se os três tivessem um boa memória de ter conseguido algo com a seleção nacional, porque ainda não viram e para mim seria um sonho”, completou.

Na atual convocação de Óscar Tabárez para a disputa do torneio sul-americano, seis atletas remanescentes de 2011: além de Suárez, Muslera, Godín, Cáceres, Coates e Cavani. E o camisa 9 quer mais uma conquista para, dessa vez, os três filhos terem na memória.

"Vou tentar aproveitar e dar o meu melhor. Já tenho um, mas quero que meus filhos vejam o papai campeão da Copa América. Seria bom e inesquecível para mim", finalizou.