<
>

Ex-Barcelona revela que histórico time de Messi, Suárez e Neymar só conversava 5 minutos sobre tática e conta motivo

play
Griezmann mostra seu Newcastle 'campeão de tudo' em game com Mbappé, e colega de seleção brinca: 'Não faz muito calor lá, hein!' (0:58)

Jogadores da seleção francesa se divertiram com time de Griezmann no game Football Manager (0:58)

Com a seleção da França para a disputa da Eurocopa, Lucas Digne deu uma entrevista para o jornal L’Equipe e falou sobre tudo que envolve a sua carreira. E, claro, não deixou de comentar sobre os técnicos que o comandaram.

Questionado sobre quem mais o ajudou taticamente, o lateral rasgou elogios para Carlo Ancelotti e a forma do italiano em focar na estratégia. Além disso, Digne destacou Luis Enrique, ex-Barcelona e atual treinador da seleção espanhola. Segundo ele, o eterno técnico do time marcado pelo trio MSN ia pela mesma linha de Ancelotti, mas com incríveis 5 minutos de conversa sobre tática com os atletas.

“(Ancelotti) Analisa muito bem os adversários e lê muito bem os jogos. Tenta se adaptar aos jogadores que tem à disposição. Pode variar o sistema durante um jogo com um estalar de dedos. A mensagem é transmitida com muita facilidade”, disse Digne, para completar.

“Luis Enrique também era muito bom nisso no Barcelona. Só falávamos cinco ou 10 minutos sobre tática. Era incrível. Todos estavam receptivos, mas as instruções eram também muito claras e precisas. Durante os treinos, ele ficava no alto, em cima de uns andaimes, para observar as linhas. E assim explicava os movimentos que pretendia”.

Mas nem sempre a vida de Digne com os treinadores foi da mesma forma. E ele destacou de maneira negativa dois nomes: Laurent Blanc e Ernesto Valverde, seus técnicos em PSG e Barcelona, respectivamente.

“Com Laurent Blanc não tive qualquer ligação humana. Com Ernesto Valverde, com que estive um ano no Barcelona, também foi um pouco assim. Não foi um grande comunicador. Não era a sua natureza. Falava com Lionel Messi, que era o capitão, mas tinha que se esforçar (para isso). Notava-se que era reservado”, finalizou.