<
>

Contra Paraguai, Tite busca feito que somente Telê Santana conseguiu em 40 anos na seleção brasileira

play
Última vitória em 1985! Veja o retrospecto da seleção brasileira contra o Paraguai no 'perigoso' Defensores del Chaco (1:00)

Desde a década de 1970, seleção teve nove confrontos no principal estádio paraguaio; nesta terça-feira, às 21h30, mais um encontro (1:00)

Foram turbulentos os últimos dias da seleção brasileira. E nem Tite escapou. De "candidato à presidência" pelos resultados antes da Copa do Mundo de 2018, o técnico se viu até ameaçado de demissão, movimento cogitado por Rogério Caboclo antes do afastamento da presidência da CBF - oficialmente, o cartola nega.

Ainda com futuro indefinido, mas respaldado pelo "novo" comando da entidade, Tite foca apenas na partida contra o Paraguai, nesta terça-feira (8), pelas eliminatórias da Copa de 2022. Em jogo, estarão os 100% de aproveitamento do Brasil e uma escrita inquebrável desde 1985.

A última vitória brasileira contra o Paraguai, no país adversário, foi há praticamente 36 anos. Em 16 de junho daquele ano, Casagrande e Zico garantiram o triunfo por 2 a 0 da equipe de Telê Santana, pelas eliminatórias da Copa do ano seguinte.

Telê já havia vencido o Paraguai fora de casa durante sua primeira passagem pela seleção. Foi em setembro de 1980, quando o Brasil fez 2 a 1, gols de Zé Sérgio e Reinaldo, de virada. O Mestre é o único treinador brasileiro a conseguir o feito nos últimos 40 anos.

play
1:15

Tite revela se foi 'ameaçado' de demissão por Rogério Caboclo

Técnico da seleção brasileira falou em entrevista coletiva nesta segunda-feira

Desde então, três já tentaram e falharam. Vanderlei Luxemburgo, em julho de 2000, dirigiu o Brasil na derrota por 2 a 1. Carlos Paredes e Jorge Luis Campos fizeram para a seleção paraguaia, enquanto Rivaldo anotou o tento do time verde e amarelo, que teve Cafu expulso.

Quatro anos depois, foi a vez de Carlos Alberto Parreira ir a Assunção e sair sem vencer, com um empate sem gols. As últimas duas visitas foram com Dunga, cuje seleção perdeu em 2008, por 2 a 0 (gols de Santa Cruz e Cabañas), e empatou por 2 a 2 em 2016, com gol salvador de Daniel Alves nos acréscimos.

Tite nunca enfrentou o Paraguai no Defensores del Chaco, palco da partida de logo mais, mas se deu bem nos jogos que fez: vitória por 3 a 0 nas eliminatórias de 2017, em São Paulo, e empate seguido de vitória nos pênaltis na Copa América de 2019, em Porto Alegre.

Contra o tabu no Paraguai, Tite tem seus próprios números em eliminatórias: 15 vitórias e dois empates nos 17 jogos que fez a partir de 2016. O aproveitamento puro e simples é difícil de ser criticado. E, claro, não vale uma demissão.