<
>

'Surpreendente': como imprensa mundial reagiu ao anúncio do Brasil como sede da Copa América

O anúncio de que o Brasil será sede da Copa América de 2021, horas depois de a Argentina se recusar a receber o torneio, foi noticiada com surpresa por alguns dos principais veículos de imprensa mundiais.

No país vizinho, que deixou de ser sede da competição na noite de domingo, o "Clarín" se surpreendeu com o "tempo recorde" para a definição do novo local.

O jornal também destacou a situação da pandemia de COVID-19 no Brasil, motivo que levou os argentinos à desistência.

"A situação sanitária no Brasil não é muito melhor que na Argentina. Nos últimos dias, houve média de 60 mil casos positivos de COVID por dia com uma média de 1.800 mortes diárias na semana passada. A curta, porém, está baixando logo após atingir seu pico em meados de abril", escreveu a publicação.

O "Olé", principal diário esportivo do país, lembra que a Copa América também será disputada em paralelo ao Campeonato Brasileiro. "Será preciso ver quais serão as sedes escolhidas, já que, no meio, se está jogando o Brasileirão e a situação sanitária também é crítica, com mais de 16 milhões de casos (de COVID) acumulados e 462 mil mortes."

Na Inglaterra, o "Guardian" também define como "surpreendente" a opção pelo Brasil como sede. "O vizinho da Argentina tem um dos maiores números de mortos por COVID no mundo, com mais de 400 mil vidas brasileiras perdidas para a pandemia. Protestos aconteceram pelo país pedindo ao impeachment do presidente, Jair Bolsonaro, por sua condução durante a crise", escreveu.

O mesmo tom é adotado pelo "El País", da Espanha: "Se trata de uma decisão de urgência bastante surpreendente, pela grave situação sanitária brasileira".

Inicialmente, a Copa América seria disputada em 2020, com duas sedes, Colômbia e Argentina, mas foi adiada em razão da pandemia. Em 2021, os colombianos deixaram de ser opção para o torneio em meio aos protestos que tomaram conta do país. No domingo, os argentinos seguiram o mesmo caminho, preocupados com a alta de casos de COVID em seu território.

O Brasil foi anunciado na manhã desta segunda-feira como sede, em comunicado oficial da Conmebol em suas redes sociais. Detalhes sobre o calendário e quais serão as cidades a receberem o torneio, porém, ainda não foram divulgados.