<
>

Dos papa-títulos às decepções: como foi a temporada dos 12 fundadores da Superliga

A Superliga da Europa acabou antes mesmo de começar. Mas, diante de tanta repercussão negativa pelo anúncio de um torneio que envolveria os potenciais maiores clubes do Velho Continente, não deixa de ser curioso saber como cada um dos fundadores se saiu na temporada 2020/21.

O saldo não foi dos melhores. Clubes como Liverpool, Manchester United, Milan, Real Madrid e Tottenham passaram o ano sem conquistar nenhum troféu, enquanto o Arsenal, apesar de ganhar uma taça, sequer conseguiu se classificar para um torneio continental na próxima temporada.

Claro que há exceções. Atlético de Madrid, Manchester City e Inter de Milão sagraram-se campeões nacionais, este último interrompendo o domínio de longa data da Juventus, e o Barcelona levantou uma copa. A grande honraria coube ao Chelsea, campeão da Champions League no último jogo da temporada.

Veja abaixo um resumo do que cada time fez em 2020/21:

Arsenal

Dos 12 times, é o que teve pior rendimento. Ficou em oitavo na Premier League, ficando fora de competições europeias pela primeira vez em 25 anos. Nos mata-matas, conseguiu a conquista da Supercopa da Inglaterra contra o Liverpool, nos pênaltis, mas decepcionou em outras.

Na Copa da Inglaterra, ficou na quarta fase, caindo para o Southampton, enquanto, na Copa da Liga, perdeu para o Manchester City nas quartas de final. Na Europa League, o time era um dos favoritos, mas tropeçou na semifinal contra o Villarreal, que viria a ser campeão.

Atlético de Madrid

O time espanhol até decepcionou nas copas, sendo eliminado na segunda fase da Copa do Rei, contra o pequeno Cornellà, e nas oitavas da Champions League, contra o Chelsea.

Em LaLiga, por sua vez, a equipe conseguiu se manter firme no topo da tabela, apesar dos altos e baixos, e conquistou o 11° título de sua história, o segundo com Diego Simeone como treinador. Destaque para o artilheiro Luis Suárez.

Barcelona

O time blaugrana passou por altos e baixos na temporada. Apesar do título da Copa do Rei, em abril, a última impressão foi de decepção por conta da reta final de LaLiga, quando desperdiçou chances de assumir a liderança na reta decisiva e acabou em terceiro lugar.

Na Champions, a eliminação nas oitavas para o PSG foi algo que deixou marcas no time por um tempo. A equipe de Ronald Koeman também teve o vice na Supercopa da Espanha contra o Athletic Bilbao. Resultados pouco animadores na possível última temporada de Lionel Messi.

Chelsea

O título da Copa da Inglaterra escapou na final, para o Leicester. A vaga no G-4 da Premier League quase foi pelo ralo também, mas uma combinação de resultados facilitou a missão. Só que os Blues guardaram o melhor para o fim.

Na decisão da Champion League, os comandados de Thomas Tuchel dominaram por completo o Manchester City e ganharam o segundo título do maior torneio da Europa. Um encerramento e tanto de ciclo, que coroa a troca de Frank Lampard, demitido em janeiro, por Tuchel.

Inter de Milão

A eliminação da fase de grupos da Champions, como lanterna do grupo, e a queda contra a Juventus, na semifinal da Copa da Itália, ficaram em segundo plano graças à grande campanha na Série A.

Depois de 10 anos, o time voltou a conquistar o título nacional e de maneira categórica, encerrando a hegemonia da Juve no país e com vantagem para os rivais, liderando o torneio durante a maior parte do tempo. Antonio Conte, porém, entregou o cargo poucos dias após o troféu, o que indica mudanças para 2021/22.

Juventus

O título da Copa da Itália, na semana final da temporada, não apagou o desempenho abaixo do esperado que o time teve ao longo do ano. No Italiano, além da queda da hegemonia, a Velha Senhora quase ficou fora da Liga dos Campeões, dependendo do resultado do Napoli para se classificar na última rodada.

Na mesma competição europeia, o time ainda foi eliminado para o Porto nas oitavas de final, com atuações decepcionantes. Na Supercopa da Itália, outra conquista, mas não suficiente para manter Andrea Pirlo como técnico. Massimiliano Allegri volta ao cargo.

Liverpool

Depois da temporada dos sonhos na Premier League anterior, o time de Klopp passou por turbulências por conta de lesões de titulares importantes, como o zagueiro Van Dijk. Quase não se classificou para a próxima Champions, mas conseguiu uma arrancada no final para ficar no G-4.

Nas copas, decepções desde o início da temporada: eliminações na quarta fase da Copa da Inglaterra para o United e da Copa da Liga para o Arsenal, para quem ainda perdeu a final da Supercopa da Inglaterra. Na Champions League, ficou nas quartas de final, contra o Real Madrid.

Manchester City

O City passou por uma reconstrução dentro da temporada, ao sair do pior começo de um time de Pep Guardiola em uma liga nacional para uma sequência de 21 vitórias e 28 jogos sem perder.

Dessa forma, pavimentou o caminho para o título da Premier League (o terceiro nos últimos quatro anos) e também da Copa da Liga (tetracampeonato inédito). Chegou também à semifinal da Copa da Inglaterra e foi finalista da Champions, quando perdeu o título para o Chelsea.

Manchester United

Bater na trave foi uma sina para os Red Devils na temporada. Primeiro, na fase de grupos da Champions, onde o time perdeu a vaga no mata-mata nas últimas rodadas. Nas copas nacionais, o clube chegou perto da final, parando nas semis da Copa da Liga e nas quartas da FA Cup.

Mas nos outros torneios foi pior. O United chegou a liderar a Premier League, mas perdeu fôlego contra o City e ficou com o vice, longe do topo. Na Europa League, a derrota foi na decisão contra o Villarreal, depois de uma longa disputa de penalidades que acabou com erro de David De Gea.

Milan

Nenhum título chegou para o clube rossonero quebrar seu jejum de conquistas, mas a temporada foi melhor do que as últimas. No Italiano, apesar de liderar boa parte da primeira metade da temporada, o time ficou com o vice. A boa notícia é o retorno à Liga dos Campeões, que não acontecia desde 2014.

Na Europa League, o Milan caiu nas oitavas, e na Copa da Itália uma dura queda contra a rival Inter, com gol nos minutos finais, estragou outra chance de troféu.

Real Madrid

O primeiro ano sem conquistas desde 2009/10. É assim que ficará lembrada a temporada que se encerrou. Na Copa do Rei, queda precoce para o pequeno Alcoyano. Na Supercopa, derrota nas semifinais.

Em LaLiga e na Champions, as derrotas foram mais perto das glórias. O time caiu para o Chelsea nas semifinais europeias e ficou em segundo no Espanhol, desperdiçando chances de assumir a ponta nas últimas semanas. Dias após o fim dos jogos, Zinedine Zidane pediu demissão.

Tottenham

O desempenho foi tão decepcionante quanto do rival Arsenal. Mas os Spurs, pelo menos, conseguiram uma vaga na Conference League. A FA Cup teve queda na quinta fase, contra o Everton.

Na Europa League, uma eliminação decepcionante contra o Dinamo Zagreb, nas oitavas de final. Mas a principal derrota do time foi na decisão da Copa da Liga, contra o City, onde o time desperdiçou a chance de quebrar o tabu de títulos que existe desde 2008. No meio do caminho, o português José Mourinho acabou despedido.