<
>

River fará pedido formal à Conmebol para inscrever goleiro na Libertadores após quatro desfalques na meta por COVID-19

O River Plate definitivamente não vive seu melhor momento. Um dia antes de ser eliminado nos pênaltis pelo rival Boca Juniors, nas quartas de final da Copa da Liga Argentina, o clube perdeu 15 jogadores, sendo quatro titulares e seus quatro goleiros, dignosticados com COVID-19.

Para a partida desta quarta-feira, contra o Santa Fe, no Monumental de Núñez, pela penúltima rodada da fase de grupos da Conmebol Libertadores, o time de Marcelo Gallardo enviará nesta segunda-feira (17), um pedido formal à Conmebol para inscrever Alan Leonardo Díaz, que esteve em campo contra o Boca, já que Franco Armani, Enrique Bologna, Germán Lux e Franco Petroli estão fora e cumprem isolamento.

De acordo com o jornal Olé, que fez nova consulta à entidade, só é permitida a inscrição de um arqueiro quando o mesmo se lesiona no meio competição. Acontece que a Conmebol chegou liberar a inscrição de 50 jogadores por conta da pandemia, porém o time argentino só escreveu apenas 32, entre eles todos os quatro que foram contaminados.

Díaz, de apenas 21 anos, fez sua estreia no superclássico argentino e teve boa atuação ao defender três chutes de Tévez, além de um pênalti cobrado por Edwin Cardona.

Caso o River tenha o pedido negado pela entidade e não consiga inscrever o jovem goleiro, o técnico Marcelo Gallardo terá que colocar um jogador de linha para fazer tal papel.

Os Millonarios ocupam a segunda colocação do Grupo D, com 6 pontos, dois a menos que o líder Fluminense. O Junior Barranquilla aparece em terceiro, com três e em último está o Independiente, com apenas dois.