<
>

Ramírez revela papo com Rodinei e diz que Grêmio não foi superior ao Inter na primeira final do Gaúcho

O Internacional saiu atrás na decisão do Campeonato Gaúcho contra o Grêmio após perder, de virada, por 2 a 1 no Beira-Rio neste domingo (16). Para o técnico Miguel Ángel Ramírez, porém, o Colorado jogou melhor que o rival no duelo.

“Nas derrotas que tivemos, o adversário não foi melhor que nós. Isso sim me preocuparia. O único jogo que senti que não tínhamos o controle do jogo foi na Bolívia, dadas as condições que tínhamos nesse jogo”, disse.

“Na Venezuela, estávamos melhores quando sofremos o gol, na Arena, dominamos e tivemos algumas chances muito claras. Me preocuparia mais se fôssemos dominados e não pudéssemos fazer nada”, completou.

Durante sua entrevista coletiva, Ramírez ainda relatou uma conversa com Rodinei na beira do campo durante o duelo, falando sobre as chances que o time tinha de conseguir vencer contra as chegadas do Tricolor.

“No empate, eu tinha o Rodinei perto de mim e ele me dizia: ‘Vamos apertar, porque o Grêmio estava caindo, não era capaz de defender’. E vinham em uma sequência de muitos ataques. Sabíamos que, estando assim, ia chegar ao gol em algum momento. Porque estavam cada vez mais em nosso campo, no último terço”, apontou.

O treinador ainda citou uma questão da análise sobre os resultados do Inter, afirmando que a análise do contexto das partidas muda, mesmo que as tentativas do time seja a mesma.

“Quando goleamos, muitos falaram que quando marcamos o primeiro gol, nós íamos pelo segundo e depois pelo terceiro. Hoje, fizemos isso, na Venezuela, também. Então, há alguns dias que entram o segundo e o terceiro, mas nos últimos jogos foi para o adversário”, afirmou, ainda falando sobre o cansaço de seu time.

“A sequência de partidas faz com que pesem as pernas e, nos últimos minutos, não podemos mudar todos os jogadores. Pesam as pernas e a cabeça, não permite que pense com claridade”, finalizou.