<
>

Jornal revela como e por que PSG conseguiu manter Neymar mesmo com 'obsessão' do Barcelona em dois momentos

O Barcelona ficou novamente a ver navios na tentativa de recontratar Neymar. Recentemente, o craque brasileiro acertou sua renovação com o Paris Saint-Germain até 2025 e com a opção de estender por mais uma temporada ou até 2026.

Após vender o camisa 10 da seleção brasileira ao clube francês em agosto de 2017, o Barcelona parece ter se arrependido e muito de ter selado tal negociação Tanto que, desde então, o clube catalão faz força nos bastidores para tentar um retorno do brasileiro, algo que parece ser cada vez mais improvável.

O diário Sport, da Espanha, traz nesta sexta-feira (14) a história das duas tentativas de contratações de Neymar por parte do Barcelona que naufragaram. De acordo com a publicação, o grande responsável pela permanência do craque em Paris foi Nasser Al-Khelaifi, presidente do clube parisiense.

Ainda segundo o Sport, Neymar no PSG representa a força do Catar, sede da Copa do Mundo de 2022, nos bastidores e como potência financeira de um 'clube-estado', financiado pelos chamados 'petrodólares' e com uma gestão diferente de qualquer outro rival do Barcelona.

Proposta na mesa e até 'ajuda' de Neymar por acerto

Em 2019, Josep María Bartomeu foi à França para acompanhar o time feminino do Barcelona, mas permaneceu um dia a mais em Paris para iniciar uma negociação. Ainda de acordo com o jornal, mesmo com a presença do pai de Neymar e com a insatisfação do craque naquele período com o clube, o presidente do PSG disse apenas 'não' a Bartomeu e sequer deu abertura para uma discussão.

Posteriormente, o próprio Neymar forçou um retorno ao clube catalão perante à direção do PSG. Na época, o Barcelona tinha na mesa uma oferta de 150 milhões de euros, cerca de R$ 650 milhões, mais as transferências em definitivo de Rakitic e Todibo, além do empréstimo de Ousmane Dembélé.

Dos 150 milhões de euros, 130 eram do Barcelona, e os outros 20 seriam pagos pelo próprio Neymar. A partir deste ponto, o PSG encerrou de vez as negociações e recusou a oferta pelo craque.

Sonho por 'fico' de Messi, e Laporta 'enojado' após reunião

Dois anos depois da longa negociação com Bartomeu, Nasser Al-Khelaifi precisou blindar o Paris Saint-Germain novamente contra uma investida do time catalão. O Sport informa que, no início de maio, Joan Laporta marcou uma reunião com o presidente.

A publicação informa que a reunião começou de maneira singela e educada de ambas as partes. A ideia de Laporta era conseguir o retorno de Neymar como um grande trunfo para contar com Messi na próxima temporada. Por outro lado, Khelaifi não se mostrou nem um pouco interessado no problema do Barcelona.

A reunião terminou da 'pior maneira possível', com o mandatário do PSG irredutível e com Laporta 'visivelmente enojado', uma vez que não houve decoro e menos ainda uma possibilidade de abertura de negociação pelo retorno de Neymar ao Barcelona.