<
>

Cuca, após América de Cali x Atlético-MG: 'Parabéns para a arbitragem que teve coragem de manter a partida até o final'

Dentro de campo, vitória do Atlético-MG por 3 a 1 em cima do América de Cali. Fora do Estádio Romelio Martínez, em Barranquilla, manifestantes protestando contra a reforma tributária do governo federal, o que gerou confronto com a polícia colombiana.

E o extracampo refletiu dentro das quatro linhas. Por conta do gás lacrimogênio disparado pela polícia, os jogadores de ambas as equipes sentiram os efeitos, fazendo com que a partida fosse interrompida por cinco oportunidades - uma no primeiro e quatro no segundo tempo.

Após a partida, em entrevista coletiva, o técnico Cuca revelou que foi a primeira vez em sua carreira que uma partida foi tantas vezes paralisada. O treinador ainda 'parabenizou' o árbitro Andrés Cunha pela condução do jogo até o fim.

“Eu não tinha passado. De parar, uma vez aconteceu. Mas cinco vezes em um tempo, nunca aconteceu. Porque, quando se ouvia o barulho das bombas estourando, era questão de tempo para o gás vir. As pessoas sabem que, se estourasse lá, o vento traria para cá. E quando vinha, vinha muito forte. Pegou quatro, cinco vezes. Tem que dar parabéns para a arbitragem que teve coragem de manter a partida até o final”.

Sobre a equipe que mandou a campo, Cuca destacou que não há somente uma 'ideal' e a 'força máxima' é composta pelos jogadores com as melhores condições.

“Com força máxima. Mas a força máxima não significa o mesmo 11 que jogou hoje. Eu vou medir, junto com a fisiologia, a preparação física, todos que estiverem na melhor condição vão jogar. Isso é a força máxima”.

Agora, o Galo vira a chave para o Campeonato Mineiro. No domingo, às 16h, no Independência, o Alvinegro encara o América-MG pela primeira partida da decisão do estadual.