<
>

Rival de último título do São Paulo esclarece polêmica e diz que enfrentou melhor equipe do clube desde tempos de Raí

Nove anos depois, o ex-técnico do Tigre-ARG Nestor Gorosito esclareceu a polêmica final da Copa Sul-Americana de 2012, contra o São Paulo, naquele que é até hoje o último título conquistado pelo tricolor paulista.

Segundo Gorosito, ele queria jogar o segundo tempo do confronto. Na ocasião, com o São Paulo vencendo por 2 a 0 no Morumbi, na descida para o intervalo os atletas do Tigre e seguranças e jogadores do time brasileiro se envolveram em uma briga. Os argentinos se recusaram voltar para a etapa final, alegando terem sido ameaçados com arma de fogo, e o tricolor foi declarado campeão.

"Falaram que eu era culpado, que eu disse que não poderiam jogar, mas não tem nada a ver. Um capataz vai dizer que uma fábrica vai fechar? Foi o cônsul que determinou", disse Gorosito, à Tyc Sports.

"Foi uma loucura, fizeram nossa vida impossível. O treinador deles [Ney Franco] foi um idiota, falou que havia sido maltratado aqui na Argentina. Mentira, na Argentina nem te dão bola. Ele começou a plantar discórdia e bagunça, aí chegamos a São Paulo e não nos deram campo para treinar. Nos mandaram treinar duas horas onde estávamos, não deixaram a gente se aquecer no gramado do Morumbi", completou.

O técnico relatou a sua visão do ocorrido.

"Armou-se uma confusão no campo e se separaram, e quando chegamos ao vestiário os seguranças estavam batendo em dois jogadores nossos que estavam entrando. Aí entramos e brigaram todos. Impressionante. Os [seguranças] gordos, grandões, musculosos, começaram a se cansar e os nossos meninos foram para cima, e isso porque faltavam uns caras nossos que também eram grandes. Até que começaram a nos acertar com os cassetetes, sacaram um revólver, bateram no peito de um jogador nosso. O representante da Conmebol e o árbitro estavam aí, a cinco metros", relembrou.

"O cônsul não nos deixou jogar porque perguntou quais eram as garantias de que isso não aconteceria de novo, e a Conmebol e o árbitro disseram que as garantias eram as mesmas dadas até ali." "De outro time, não tirariam a medalha. De um Boca, River, San Lorenzo? [Julio, presidente da AFA] Grondona não deixaria tirar a medalha. Mas com a gente e outros times que entre aspas são menores, sim", completou.

Gorosito ainda afirmou que aquele São Paulo de 2012, com Rogério Ceni, Lucas Moura, Rodrigo Caio, Luis Fabiano e cia era o melhor time do clube desde os tempos de Raí nos anos 90.

"Eles tinham um timaço. Depois do Raí, era o melhor time do São Paulo. Você precisa ter sorte também. Capaz de encontrar uns tontos de m*** na final e acabar sendo campeão".