<
>

Manchester United: em meio à 'crise', clube pode conquistar seu 20º título sob domínio da família Glazer. Veja

Nesta quinta-feira (6) o Manchester United volta a campo pelo jogo decisivo das semifinais da Europa League contra a Roma, no Estádio Olímpico, na capital italiana, e pode se dar ao luxo de perder até por três gols de diferença que avança à grande final da competição europeia, já que goleou os italianos por 6 a 2 na ida, no Old Trafford. Esta partida terá transmissão ao vivo e exclusivo do FOX Sports a partir das 15h45, e cobertura em tempo real com vídeos de lances e gols de ESPN.com.br e ESPN App.

E apesar da aparente tranquilidade do clube inglês para o confronto, nos bastidores o clima é bem diferente e ganha tons de crise. No último domingo (2), o clássico contra o Liverpool no Old Trafford, pela rodada 34 da Premier League, foi adiado após um grande protesto dos torcedores do United em Manchester, e que terminou em cenas de violência, já que cerca de 200 pessoas invadiram o estádio e danificaram algumas de suas partes. A partida foi remarcada para o próximo dia 13 de maio, às 16h15.

E por trás de toda esta revolta da torcida, está a família norte-americana Glazer, que desde o dia 12 de maio de 2005 é dona majoritária do Manchester United. Depois de16 anos comandando o clube, grande parte dos torcedores está insatisfeita com as suas ações e decisões, principalmente depois que os Diabos Vermelhos flertaram com a possibilidade disputar a Superliga europeia, mas depois se retiraram.

Mesmo em meio à esta crise, o clube de Manchester pode ter um motivo para comemorar, já que briga para conquistar o seu 20º título sob o domínio dos Glazer. Isto porque, de 2005 para cá, foram 19 troféus erguidos pelo United, o mais importante deles o da Champions League da temporada 2007/08.

Por sinal, o primeiro título conquistado sob a gestão dos norte-americanos veio logo na primeira temporada da parceira, em 2005/06, quando o United conquistou a Copa da Liga Inglesa.

Depois disso, o clube inglês ainda faturou outras três vezes a mesma competição, além de ter conquistado um Mundial de Clubes (2008), uma Europa League (2016/17), cinco vezes a Premier League, uma Copa da Inglaterra e seis Supercopas da Inglaterra.

Inclusive, a última conquista foi exatamente a da Liga Europa, que a equipe agora busca o bicampeonato. Ou seja, de lá para cá, são quatro anos sem conquistar um título sequer, o que também deixa a torcida ainda mais enfurecida.

E antes da família Glazer, como foi o desempenho do clube em relação aos títulos nos 16 anos anteriores? Pois bem, ao todo foram 24 conquistas, a maior parte delas no Campeonato Inglês (8). Além disso, o United também faturou uma Champions (1998-99) e um Intercontinental (1999). Ou seja, desde que os novos donos entraram o time levantou até mesmo menos taças, o que também justifica a revolta da torcida.

E quem são os Glazer?

Joel e Avram Glazer são empresários e donos de uma fortuna de US$ 4,7 bilhões (quase R$ 20 bilhões), segundo a revista "Forbes", e herdaram o clube de seu pai, o magnata Malcom Glazer. A grana da família vem principalmente do ramo imobiliário, mas também de negócios nos setores de alimentação, embalagem, saúde, bancos, gás natural, internet, ações e outros.

Malcom tornou-se proprietário do United gastando 790 milhões de libras (R$ 4,096 bilhões, na cotação atual) entre 2003 e 2005, quando foi comprando pouco a pouco o controle acionário da equipe, que pertencia aos empresários Michael Knighton e Rupert Murdoch (dono da rede de televisão norte-americana FOX).

Após sua morte, em 28 de maio de 2014, o time de Manchester caiu "no colo" de Avram, o filho mais velho, e Joel, um dos filhos mais novos, que também assumiram o Tampa Bay Buccaneers, franquia da NFL controlada pela família Glazer.

Inicialmente, os irmãos disseram que ouviriam os fãs e não iriam interferir no "United way of life". E suas primeiras atitudes foram de acordo com essa cartilha.

Na temporada 2005/06, os proprietários investiram no aumento da capacidade do estádio Old Trafford, além de terem firmado um lucrativo contrato de patrocínio com a seguradora norte-americana AIG.

No entanto, o sucesso esportivo, que é a maior preocupação da torcida, começou a minguar após a aposentadoria de Sir Alex Ferguson, em 2013, o que trouxe mudanças significativas à agremiação - desta vez, para pior.

As coisas na verdade começaram a desandar pouco antes do "adeus" de Sir Alex, quando, em fevereiro de 2013, o CEO David Gill deixou o United. O selecionado para ser seu substituto foi Ed Woodward.

Nos últimos anos, Woodward torrou milhões em contratações equivocadas de técnicos e jogadores, e pode celebrar apenas títulos medíocres para os padrões dos "Diabos Vermelhos", como uma Liga Europa (com José Mourinho no comando) e duas FA Cups (uma com Mourinho e outra com Louis van Gaal).

Na Premier League, o desempenho vem sendo pífio: desde que Woodward assumiu o cargo, o United terminou com uma média de 21,5 pontos atrás dos times campeões.

Isso sem falar no fato que o United deixou de ser presença constante na Uefa Champions League, competição em que costumeiramente era um "bicho-papão".