<
>

Ex-Arsenal é demitido na Alemanha por mensagem racista no WhatsApp

O Hertha Berlin anunciou a saída do ex-goleiro do Arsenal Jens Lehmann horas depois que o ex-jogador da seleção alemã Dennis Aogo postou no Instagram uma captura de tela de uma mensagem racista do WhatsApp que Lehmann lhe enviou.

Lehmann, que fazia parte da equipe 'Invencíveis' do Arsenal em 2003/04, atuava como membro do conselho supervisor do Hertha Berlin em nome do grupo de investidores Tennor após a saída repentina do técnico Jurgen Klinsmann em fevereiro de 2020.

Aogo, que atualmente trabalha como analista do canal de televisão Sky Germany e cobriu a partida da Uefa Champions League entre Manchester City e Paris Saint-Germain na terça-feira, postou uma foto da mensagem que recebeu de Lehmann após o jogo que dizia: "Negro cumprindo cota".

Lehmann admitiu que a mensagem veio de seu telefone em uma breve declaração ao diário alemão Bild.

Ele também emitiu um comunicado no Twitter se desculpando com Aogo e elogiando-o "como um ex-jogador que tem muita experiência, uma grande aura e ajuda a Sky Sports".

Tennor divulgou um comunicado após o incidente que dizia que o contrato de Lehmann seria rescindido imediatamente.

"O contrato de Jens Lehmann será rescindido com efeito imediato. Isso também significa que seu mandato no conselho de supervisão não se aplicará mais", disse um porta-voz do grupo de investidores ao diário Die Welt.

"Nós pessoalmente lamentamos isso, mas não é compatível com os princípios de Tennor e [investidor] Lars Windhorst. Especialmente tendo em vista que temos muitos negros como funcionários."

O presidente do Hertha Berlin, Werner Gegenbauer, disse que o clube saudou o passo dado pelo grupo de investidores e acrescentou que 'tais declarações de forma alguma correspondem aos valores que o Hertha Berlin defende e defende ativamente. O Hertha BSC se distancia de qualquer forma de racismo'.

Há pouco menos de um mês, o Hertha Berlin demitiu o técnico do goleiro Zsolt Petry imediatamente após comentários racistas e homofóbicos em uma entrevista concedida na Hungria.