<
>

Barrados no aeroporto, sem água ou comida e ajuda de embaixador: a 'odisseia' de rival do Bahia narrada por jornal argentino

play
Jogadores do Independiente testam positivo para COVID-19, e grupo é barrado no aeroporto de Salvador (0:31)

Jogadores e integrantes da comissão técnica do time argentino testaram positivo para COVID-19 e acabaram tendo a entrada barrada no Brasil por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (0:31)

A Conmebol anunciou que a partida entre Bahia e Independiente acontecerá mesmo nesta terça-feira, às 19h15, horário de Brasília. A decisão foi tomada há pouco pela entidade máxima do futebol sul-americano após todo o imbróglio envolvendo a delegação do Independiente, uma vez que alguns atletas testaram positivo para COVID-19.

Tudo aconteceu por conta da barreira sanitária em Salvador. Jogadores e integrantes da comissão técnica do time argentino testaram positivo para COVID-19 e acabaram tendo a entrada barrada no Brasil por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O grupo que testou positivo para a doença ficou retido no aeroporto. Ao todo, foram 12 profissionais 'travados', enquanto a delegação com exame negativo foi para o hotel por volta das 3h. A informação foi divulgada pelo próprio Independiente no Twitter.

Segundo o jornal Olé, os profissionais que ficaram presos no aeroporto passaram mais de seis horas sem qualquer tipo de comida ou bebida. Ainda de acordo com o veículo, esses membros estavam habilitados para a viagem.

Em entrevista à Rádio Rivadavia, da Argentina, Pablo Virasoro, Cônsul da Argentina na Bahia, explicou o ocorrido.

"Ontem à noite o grupo principal foi liberado e 11 pessoas foram retidas. Aquele grupo teve que esperar no aeroporto. A Conmebol permite que os jogadores viajem e até joguem com um PCR positivo quando há um certo tempo entre a detecção inicial e o momento da partida".

“A questão é que as autoridades brasileiras desconhecem essa possibilidade . O critério da autoridade sanitária brasileira é carga viral 0. Alguns jogadores ainda tinham uma carga residual por já terem contraído a infecção", explicou o Cônsul.

O Olé informa que até mesmo Daniel Scioli, embaixador da Argentina no Brasil, tentou intervir na situação, mas os funcionários do aeroporto e da Anvisa se mostravam irredutíveis. Neste meio tempo, os atletas esperavam em pé ou sentados na chão sem receber nem mesmo um copo de água.

Os atletas que testaram positivo foram: Juan Insaurralde, Adrián Arregui, Lucas González, Pablo Hernández, Sebastián Sosa, Gonzalo Asís, Fabricio Bustos, Alan Soñora, Domingo Blanco, Lucas Romero, Alan Velasco, Silvio Romero e Nicolás Messiniti.

O duelo entre Bahia e Independiente vale a liderança do grupo B da Sul-Americana. Os argentinos estão na ponta com seis pontos, com os brasileiros na cola, com quatro.