<
>

Champions: Verratti, do PSG, torce por 'genialidade' de Neymar e diz que encara City até com dor: 'Não somos ET's'

play
Neymar, Marquinhos e restante do PSG chegam em Manchester para duelo com o City na Champions; veja como foi (0:27)

PSG encara o City nesta terça, pela volta da semifinal da Champions League (0:27)

Nesta terça-feira (4) o Paris Saint-Germain tem confronto decisivo contra o Manchester City, na Inglaterra, pela semifinal da Champions League, e no clube francês a motivação segue em alta após o revés de virada por 2 a 1, no jogo de ida. Em entrevista coletiva nesta segunda (3), o meio-campista Marco Verratti disse que não haverá dor que vá atrapalhar o empenho dos parisienses, que buscam uma vaga na final da competição pelo segundo ano consecutivo.

"Uma semifinal da Liga dos Campeões no espera. Todas as equipes querem chegar à final. É um ótimo jogo para jogar. Temos que ficar quietos e continuar jogando o futebol que nos trouxe até aqui. Vai ser dificíl. Teremos que controlar as emoções porque haverá momentos em que sofreremos. Teremos que fazer o máximo a cada minuto porque sentimos na pele que tudo se resolve nos detalhes", começou por dizer.

Sobre o estilo de jogo que o PSG precisará para carimbar vaga na grande decisão, o meio-campista italiano deixou claro que é preciso um pouco de tudo para que a equipe saia com esta classificação. Além disso, o jogador deixou claro que torce para que a genialidade de Kylian Mbappé e Neymar prevaleça neste próximo jogo.

"A chave é um fazer pouco de tudo. O principal é jogar bola, criar oportunidades e divertir-se porque o futebol é divertido, principalmente neste tipo de jogo. É preciso muita personalidade. É tudo uma questão de vencer a Liga dos Campeões. A vitória vem nos pequenos detalhes. Os 90 minutos nunca acontecem da maneira que você deseja. Mas um pequeno toque de genialidade como esse pode acontecer nos pés de Kylian ou Neymar", prosseguiu.

Titular durante os 90 minutos no jogo de ida, Verratti sentiu algumas dores no segundo tempo, mas mesmo assim continuou em campo. Em relação à possíbilidade do mesmo acontecer em Manchester, o atleta deixou claro que a dor nunca será um obstáculo.

"Não somos uma equipe de ET's. Com certeza vamos sofrer. Mas se estamos com dor, vamos fazer isso juntos. O atacante deve ser o primeiro defensor. Estamos na metade do caminho, sabemos que não é fácil chegar à final. Contra o Bayern de Munique sofremos até o último minuto. Contra o Barcelona, ​​a partida de volta foi difícil. Mas estamos prontos para fazer qualquer coisa para chegarmos à final", finalizou.

Como perdeu por 2 a 1 no Parque dos Príncipes, o PSG precisa de pelo menos dois gols de vantagem para se classificar para a grande decisão da Champions.