<
>

Manchester City: Dome defende Guardiola, diz que treinador é gênio e 'culpa' estrela do clube por vexame no passado: 'Não acertou o gol vazio'

play
Respeito, #NeyDay, futuro e Bola de Ouro: o que Neymar disse antes de PSG x City (2:21)

A equipe de Paris recebe o Manchester City nesta quarta-feira no Stade de France, em Saint-Denis, no jogo de ida da semifinal da Uefa Champions League (2:21)

Durante muitos anos auxiliar do técnico Pep Guardiola, o ex-comandante do Flamengo Domènec Torrent foi só elogios ao antigo companheiro. Em entrevista ao veículo de imprensa alemão "Spox", o espanhol chamou o atual treinador do Manchester City de "gênio" e o eximiu da culpa pela eliminação dos Citizens para o Lyon, na última edição da Champions League, competição que ele espera que o amigo possa voltar a ganhar na Inglaterra.

Pela primeira vez em uma semifinal da Liga dos Campeões com o clube de Manchester, Pep, que chegou ao City em 2016, bateu na trave nas últimas três temporadas consecutivas, quando caiu ainda nas quartas de final. Na última delas, disputada em jogo único em Lisboa, em Portugal, derrota por 3 a 1 para os franceses, em jogo aonde os ingleses tiveram chance clara de matar a partida com Raheem Sterling, no segundo tempo, quando o placar ainda marcava 1 a 1, que perdeu gol sem goleiro.

Sobre este lance, Dome foi crítico ao atacante inglês, que segue sendo uma das principais estrelas do elenco dos Citizens, o culpando pela última eliminação na competição e perdoando Guardiola.

“Foi azar. Raheem Sterling não acertou o gol vazio de poucos metros. Isso deveria ser culpa do treinador? Não. Pep também comete erros", começou por dizer.

“Ainda assim, ele é um gênio. E é da natureza humana gostar de ver os gênios fracassarem. Foi o mesmo com músicos como Mozart. As pessoas gostavam de criticá-lo quando cometia um erro, uma vez que ele cometia erros tão raramente. É semelhante ao Pep", prosseguiu.

Por último, Dome ainda reforçou o seu desejo de ainda poder ver Pep conquistando mais uma Champions, depois de dois títulos à frente do Barcelona (2008/09 e 2010/11).

“Eu o conheço bem e sei que ele aguenta as críticas. E mesmo que lhe faltasse o terceiro título da Champions League, daqui a 20 anos, quando se sentar em casa com a família e olhar para a carreira com um copo de vinho, ficará feliz e satisfeito", disse.

“Ainda assim, espero que ele ganhe este título. Ele merece. Nenhum gênio deve ficar sem recompensa", finalizou.